Setembro Amarelo: a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo

No mundo, uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos, segundo informações divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O suicídio é um sério problema de saúde pública global e está entre as 20 principais causas de morte no mundo, tendo mais mortes do que por malária, câncer de mama ou guerra e homicídio. Cerca de 800.000 pessoas tiram sua própria vida todos os anos. 

Nesta terça-feira (10), comemora-se o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data, criada em 2003 pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela OMS, visa incentivar os países membros a adotarem estratégias para combater o problema. O assunto ainda é um tabu que atinge o mundo inteiro, mas que precisa ser desmistificado. O suicídio é um fenômeno complexo, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. No entanto, pode ser prevenido. Por isso, ao reconhecer a relevância do problema, a OMS definiu, em seu Plano de Ação em Saúde Mental 2013-2020, a meta global de reduzir em 10% a taxa de suicídios até 2020. Dentre as intervenções de prevenção, são destacadas aquelas relativas à restrição aos meios de suicídio (controle de armas de fogo e de acesso a agrotóxicos), a redução do uso prejudicial de álcool e outras drogas e a conscientização da mídia para comunicação responsável sobre o tema.

No Brasil

Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde, em 2016, cerca de 11.433 mil pessoas tiraram a própria vida no Brasil. O suicídio foi a terceira causa de morte entre adultos jovens do sexo masculino de 20 a 39 anos, em 2015. 

No período de 2011 a 2015, entre brasileiros de ambos os sexos com idade igual ou superior a 20 anos, as intoxicações exógenas foram o segundo principal meio utilizado para o suicídio, sendo o primeiro o enforcamento. A prevenção do comportamento suicida não é uma tarefa fácil. Uma estratégia nacional de prevenção, a Portaria nº 1.876, lançada pelo Ministério da Saúde, em 2006, institui Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, a ser implantadas em todas as unidades da federação, e incluir medidas de promoção de qualidade de vida. Ainda, desde 2015, a pasta mantém parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV), instituição voltada ao apoio emocional por meio de ligação telefônica para prevenção de suicídios.

Assim, falar do tema enfrentando os estigmas, bem como conscientizar e estimular sua prevenção, pode contribuir para reverter a situação. Estratégias eficientes, políticas públicas baseadas em dados e estatísticas seguras podem ser o caminho para resultados positivos e maior valorização da vida no mundo. 

Sinais de alerta

De acordo com o Ministério da Saúde, os sinais de alerta não devem ser considerados isoladamente, pois não existe uma “receita” para detectar quando uma pessoa está passando por uma crise suicida. No entanto, existem sinais, que devem chamar a atenção.

  • Aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas.
  • Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança.
  • Expressão de ideias ou de intenções suicidas.
  • Isolamento
  • Outros fatores: exposição ao agrotóxico, perda de emprego, crises políticas e econômicas, discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, agressões psicológicas e/ou físicas, sofrimento no trabalho, diminuição ou ausência de autocuidado, conflitos familiares, perda de um ente querido, doenças crônicas, dolorosas e/ou incapacitantes, entre outros.

Onde buscar ajuda?

– CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

– UPA 24H, SAMU 192, Proto Socorro; Hospitais

– Centro de Valorização da Vida (CVV) – 188 (ligação gratuita)


O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias.

Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.

Isadora Osório Silveira
Jornalista pela ESPM-Poa. Entusiasta por desafios, evolução e networking. Atualmente, em especialização na área da saúde e bem-estar.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,535FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações