Aparelho portátil facilita exames na retina

Com tecnologia totalmente nacional, três ex-alunos da Universidade de São Paulo (USP), ‘campus’ São Carlos, desenvolveram um retinógrafo portátil chamado “Eyer”. O aparelho permite a realização de exames oculares de maneira prática, com custo-benefício e a partir do uso de smartphone. O Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), é o primeiro do estado a utilizar o equipamento, que foi desenvolvido inteiramente no Brasil. 

Por ser portátil, o aparelho permite realizar o diagnóstico precoce e o exame de fundo de olho para pontos remotos, auxiliando a equipe médica clínica, cardiologistas e outras especialidades, que têm acesso a esse tipo de exame. O retinógrafo permite fazer o ‘upload’ (enviar informação para um computador remoto) da imagem para uma “nuvem” e a análise, ou diagnóstico, é feita remotamente, com a mesma qualidade.

Protótipo de retinógrafo portátil desenvolvido por três ex-alunos do campus de São Carlos da USP

Em entrevista para a Agência Brasil, o oftalmologista Flávio Mac Cord Medina, médico do HUPE e membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), explica que o projeto pode ampliar a oportunidade de exames para novos pacientes, como para doenças de retinopatia diabética, glaucoma, degeneração macular relacionada à idade. O retinógrafo é acoplado a um smartphone que tem lentes próprias para captar as imagens da retina. O novo equipamento pode ser usado também nos berçários, auxiliando na identificação de problemas como a retinopatia da prematuridade, tipo raro de problema visual.

Quais são as vantagens?

O retinógrafo convencional é acoplado a uma mesa, pensando mais de 100 quilos, e por isso é instalado em uma sala sem condição de deslocamento. O novo equipamento traz mobilidade, tornando possível examinar a retina em todas as faixas etárias, visto que hoje o retinógrafo exige que pacientes adultos fiquem posicionados corretamente durante o exame de fundo de olho para poder capturar adequadamente as imagens. Para crianças e bebês, que não podem se posicionar no aparelho convencional, o novo equipamento traz vantagens. 

Outro fator positivo é o custo reduzido em relação ao retinógrafo convencional. Enquanto este está avaliado em R$ 100 mil, o aparelho portátil tem valor em torno de R$ 25 mil. O novo equipamento ‘Eyer’, desenvolvido pela ‘startup’ Phelcom Technologies, foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e está liberado para entrar no mercado. O oftalmo Flávio Medina, segundo a Agência Brasil, já começou a utilizá-lo no Hospital Universitário Pedro Ernesto há algumas semanas. 

Uso da tecnologia

O presidente da CBO, José Ottaiano, em entrevista para a Agência Brasil, destacou o avanço da tecnologia e principalmente da inteligência artificial na contribuição para auxiliar a prática da medicina, assim como da oftalmologia, em particular, sem prejuízos à saúde. “Dada à própria característica da medicina, o aspecto humanístico da relação com o paciente em hipótese alguma deve ser comprometido”.

Isadora Osório
Jornalista pela ESPM-Poa. Entusiasta pelas boas energias da vida e seus aprendizados. Em constante busca por desafios, evolução e networking. Atualmente, em especialização na área da saúde e bem-estar

Faça um comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Redes Sociais

2,679FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
54SeguidoresSeguir

Atualizações

“Bala de prata” contra covid-19 pode nunca existir, diz OMS

Comitê de Emergência da OMS prevê que pandemia de covid-19 dure muito tempo e, por isso, é necessário continuar os esforços para sua contenção.

Aplicativo Coronavírus-SUS ajudará a rastrear contatos de infectados com covid-19

O sistema conserva a privacidade, tanto do paciente infectado como da pessoa que recebe a notificação da possível exposição com o caso confirmado para a covid-19.

OMS alerta jovens sobre covid-19 “não são invencíveis”

Apesar dos jovens não serem a maioria dos mortos pela Covid-19, não se sabe quais serão os efeitos a longo prazo da infecção.

O que os números dizem sobre o novo coronavírus e a Covid-19 no Brasil

A contagem de pessoas infectadas desde o início da pandemia atingiu o total de 2,5 milhão.

Sua autoestima não depende só do que você vê no espelho

A busca por uma melhor autoestima tem sido, cada vez mais, um dos motivos para iniciar um...