Anticoncepcional masculino poderá ser lançado na Índia

A responsabilidade do controle populacional sempre foi basicamente suportada pelas mulheres, enquanto os homens ficam para trás devido à alta de contraceptivos aceitáveis e eficientes. Os métodos disponíveis dependem principalmente da vasectomia permanente e preservativos amplamente utilizados, mas ainda relutantes.  

Agora, cientistas indianos anunciaram que estão perto de dar essa opção aos homens. Pesquisadores do Conselho Indiano de Pesquisa Médica (ICMR) concluíram com sucesso os ensaios clínicos da primeira injeção de contraceptivo masculino do mundo. O método pode durar até 13 anos com eficácia comprovada de 97%. A camisinha fornece proteção de 98%.

“O produto está pronto, com apenas aprovações regulatórias pendentes no [órgão regulador da Índia]”, declarou para o jornal Hindustan Times, o biólogo que lidera a pesquisa, Radhey Shyam Sharma. “O produto pode ser chamado com segurança o primeiro contraceptivo masculino do mundo”.


O anticoncepcional

O produto é uma vasectomia não cirúrgica chamada RISUG, ou seja, “inibição reversível do esperma sob orientação”, e é uma injeção atrás do pênis.

A inibição reversível do esperma sob orientação (RISUG) consiste em um polímero – SMA, que é dissolvido em dimetilsulfóxido (DMSO).


Como funciona?

De acordo com o cientista sênior do ICMR, Dr RS Sharma, o processo começa com a injeção de 120 microlitros de RISUG em cada vaso deferente, que são tubos que transportam o esperma dos testículos através do pênis. O RISUG rompe a membrana plasmática do esperma, resultando na desintegração dos espermatozoides que passam através de cada vaso deferente. Sem espermatozoides intactos no ejaculado, não há chance de fertilização. Resumindo, quando o espermatozoide entra em contato com o polímero no ducto deferente, os espermatozoides se desintegram e perdem a capacidade de fertilização.


Dúvidas sobre o método

Embora pareça que a Índia tenha anunciado uma das grandes preciosidades da medicina reprodutiva, o produto ainda não deixa de ter seus efeitos colaterais. Um pequeno ensaio clínico publicado no Indian Journal of Medical Research revelou que, mesmo que o RISUG tenha sido eficaz na prevenção da gravidez, efeitos colaterais como “leve aumento escrotal, dor escrotal e nódulos no local da injeção” eram comuns entre os homens que receberam o produto.

Segundo a reportagem da VOX, o ensaio clínico envolvendo 139 homens não fornece dados suficientes para que os especialistas entendam completamente os efeitos do novo contraceptivo. Enquanto o jornal Hindustan Times informou que o produto poderia atingir os mercados indianos em questão de meses, os reguladores precisariam realizar estudos muito maiores antes que o controle de natalidade masculino fosse aprovado para homens nos Estados Unidos.

O Dr Sharma declarou: “Atingimos uma taxa de sucesso de 97,6% (ausência de esperma viável no sêmen) e nenhum efeito colateral relatado. Alguns candidatos queixaram-se de leve aumento escrotal e dor, mas foram resolvidos com medicamentos em poucas semanas. O produto pode ser chamado com segurança o primeiro contraceptivo masculino do mundo. Durante os testes, também foi observada 99,02% de proteção à gravidez, o que é uma figura notável”

Ainda que seja promissora a possibilidade do RISUG ser uma nova forma de controle da natalidade masculina, alguns pesquisadores ainda estão céticos. Por enquanto, a medicina reprodutiva permanece na busca de melhorias, estudos e testes para alcançar um produto confiável e com bons resultados.


Para ler o estudo sobre o contraceptivo masculino injetável, clique aqui.

Isadora Osório Silveira
Jornalista pela ESPM-Poa. Entusiasta por desafios, evolução e networking. Atualmente, em especialização na área da saúde e bem-estar.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações