Instituto lança campanha “Lave o Dito Cujo” e alerta sobre câncer peniano

A fim de conscientizar os homens brasileiros sobre o câncer de pênis e a importância da higienização diária do órgão, o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) – criador da campanha Novembro Azul – lançou o projeto “Lave o Dito Cujo”.

Desde o dia 1º de janeiro deste ano, estão sendo publicadas ilustrações que mostram diferentes apelidos para o órgão genital no instagram @laveoditocujo. Serão 366 artes, uma por dia. O projeto é realizado em parceria com os ilustradores Leonardo Telles, Guilherme Serato, Marcelo Marui e Saulo Vinheiro.

Com uma comunicação descontraída, a campanha discute sobre um tema muito importante: o câncer de pênis, que segundo a instituição, 1.600 homens precisam amputar total ou parcialmente o órgão por causa da doença, por ano, no Brasil. E uma das medidas que pode diminuiu as chances de desenvolvimento da doença é a limpeza correta da genitália.



Ilustradores, designers e escultores que queiram participar da ação podem enviar uma mensagem para a página do Instagram.

O principal objetivo é conscientizar sobre as condições básicas de higiene, que são fundamentais para o cuidado da saúde, seja em homens, mulheres, crianças ou adultos. O uso simples de água e sabão pode evitar diversas doenças, entre elas o câncer de pênis. 


O câncer

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens. No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste.

Entre os fatores de risco, está a fimose, que impede a exposição da glande (cabeça do pênis) e o acúmulo de esmegma – secreção branca resultante da descamação celular – e a falta de informação.

“No Brasil, o câncer de pênis representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste. A falta de informação e a dificuldade em ter atendimento médico fazem com que os homens cheguem ao sistema com a doença em um estado avançado”, afirma a presidente do LAL, Marlene Oliveira, também criadora da campanha Novembro Azul.

Conforme o Instituto, apesar de rara nos países europeus e da América do Norte, esse tipo de tumor é uma condição frequente em muitos países africanos, sul americanos e asiáticos. Cerca de 95% dos casos são oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS). Isso sugere que o câncer de pênis tende a afetar os mais pobres, não circuncidados e com hábitos precários de higiene.


Quais são os sinais e sintomas do câncer de pênis?

Os principais sinais e sintomas são ferida o úlcera persistente. Além desses, podem aparecer, também:

  • tumoração na glande (cabeça do pênis);
  • tumoração na pele que cobre a cabeça do pênis;
  • tumoração no corpo do pênis;
  • secreção branca (esmegma);
  • aumento anormal do tecido da cabeça do pênis.

Caso tenha suspeitas ou tenha surgido qualquer uma dessas manifestações clínicas, é preciso procurar ajuda médica imediata.


Como prevenir?

Para prevenir o câncer de pênis, é necessário fazer a limpeza diária do órgão com água e sabão, principalmente após as relações sexuais e a masturbação. Segundo o Ministério da Saúde, a cirurgia de fimose – quando a pele do prepúcio é estreita ou pouco elástica e impede a exposição da cabeça do pênis, dificultando a limpeza adequada – é outro fator de prevenção. Também chamada de circuncisão, a cirurgia de fimose é normalmente realizada na infância.

No entanto, é importante destacar que tanto o homem circuncidado como o não-circuncidado reduzem as chances de desenvolver esse tipo de câncer se tiverem bons hábitos de higiene intima. Além disso, a utilização do preservativo é imprescindível em qualquer relação sexual. O preservativo diminui a chance de contágio de doenças sexualmente transmissíveis, como o vírus HPV, por exemplo.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), há um crescente corpo de evidências que associam o Papilomavírus Humano (HPV) e o câncer de pênis. A vacina contra o HPV faz parte do calendário nacional e está disponível nas mais de 36 mil salas de vacinação em todo o país para meninas de 11 a 13 anos.

Ainda segundo o Ministério, estudos comprovam que os meninos são protegidos indiretamente com a vacinação do grupo feminino (imunidade coletiva), havendo drástica redução na transmissão de verrugas genitais entre homens após a implantação da vacina contra o HPV como estratégia de saúde pública.


Caso tenha suspeitas ou dúvida sobre alguma informação ou sintoma, consulte um profissional de saúde.

Isadora Osório Silveira
Jornalista pela ESPM-Poa. Entusiasta por desafios, evolução e networking. Atualmente, em especialização na área da saúde e bem-estar.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,517FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações

%d blogueiros gostam disto: