Coronavírus: o que se sabe sobre a nova infecção?

0
546

A epidemia do novo coronavírus já causou a morte de mais de 2 mil pessoas, havendo registro da infecção em mais de 20 países.

O vírus, desconhecido até pouco tempo pela ciência, vem causando uma doença pulmonar grave em centenas de pessoas, preocupando profissionais de saúde e autoridades no mundo. Casos da infecção já foram confirmados na Coreia do Sul, Tailândia, Japão, Estados Unidos, Europa e Taiwan.

O Brasil tem 20 casos suspeitos de coronavírus em investigação, de acordo com o Ministério da Saúde. O primeiro caso suspeito foi em Minas Gerais, quando a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) publicou nota. Segundo a pasta, no dia 21 de janeiro, foi identificada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Centro Sul de Belo Horizonte, uma paciente que havia viajado para Xangai, na china, e voltou com sintomas respiratórios compatíveis com doença respiratória viral aguda.

A Secretaria de Saúde de Minas afirmou que a mulher apresentou sintomas respiratórios, similares com a doença respiratória viral aguda: “tendo em vista o contexto epidemiológico atual do país onde a paciente esteve, foi considerada a hipótese de doença causada pelo novo coronavírus, considerando o potencial pandêmico com alto risco à vida e impacto assistencial”.

Os casos suspeitos foram registrados nos estados da Paraíba, de Pernambuco, do Espírito Santo, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de Santa Catarina.


Coronavírus e a indústria de novas tecnologias em saúde


Até então, outros casos foram confirmados na Coreia do Sul, Tailândia, Japão e na terça-feira (21) foi confirmado o primeiro caso nos Estados Unidos. Há uma suspeita de infecção na Austrália.

Três cidades chinesas estão chinesas estão isoladas pelas autoridades, a fim de evitar a circulação do vírus para outros locais. Além da Wuhan, também foram isoladas as cidades de Huanggang e Ezhou, na província de Hubei.


O que é o Coronavírus?

O coronavírus (2019-nCoV) é membro de uma família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV), que causaram grandes surtos em 2003 e 2012.

Os sinais e sintomas clínicos do patógeno, também chamado de pneumonia indeterminada, são, principalmente, febre, dor, dificuldade em respirar em alguns pacientes e infiltrado pulmonar bilateral.

Segundo um estudo publicado na terça-feira (21), no Chinese Journal of Bioinformatics, um grupo de pesquisadores chineses acreditam que o coronavírus pode ter se originado de morcegos-ferradura chineses. No entanto, outro grupo de cientistas sugeriu que as cobras eram o “mais provável reservatório de animais silvestres” para o novo coronavírus, depois transmitido aos seres humanos, em um artigo publicado no Journal of Medical Virology na quarta-feira (22).


Como se proteger

Atualmente, não existem vacinas disponíveis contra a infecção por coronavírus humano. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, as recomendações padrão para impedir a propagação da infecção incluem lavagem regular das mãos, cobertura de boca e nariz ao tossir e espirrar, cozinhar bem a carne e os ovos. Evitar contato próximo com qualquer pessoa que apresente sintomas de doenças respiratórias, como tosse e espirros.



Rio prepara plano de contingência do coronavírus para o carnaval

OMS declara coronavírus emergência de saúde pública internacional

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here