Primeiro caso suspeito de coronavírus no Brasil é confirmado

O Ministério da Saúde confirmou hoje (28) o primeiro caso suspeito de coronavírus no Brasil e alertou sobre o perigo iminente para a presença do vírus no país. A paciente é uma estudante de 22 anos que esteve na China, e apresentou sintomas compatíveis com o protocolo de suspeita. 

Em entrevista coletiva, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçou que o Brasil está preparado para prestar a assistência necessária para a população. “Temos um sistema de vigilância robusto, reconhecidamente robusto, que já passou por três momentos de muita intensidade: SARS, Influenza e zika. Em todas as ocasiões nosso sistema de saúde respondeu muito bem”, destacou o ministro.

Os testes para a confirmação do primeiro caso suspeito no Brasil de coronavírus serão realizados por laboratórios referência do Ministério da Saúde, como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-RJ), o Instituto Adolfo Lutz e o Instituto Evandro Chagas (IEC).

Para auxiliar os profissionais de saúde, o mais recente boletim epidemiológico traz orientações em todas as áreas de atuação do Sistema Único de Saúde (SUS), além de deixar clara a definição de casos suspeitos, prováveis, confirmados e descartados.


Coletiva de imprensa realizada em Brasília (DF), nesta terça-feira (28), sobre caso suspeito do novo coronavírus no Brasil.
Foto: Renata Momoe / ASCOM MS

Coronavírus: o que se sabe sobre a nova infecção?

Arenavírus: entenda o caso confirmado de febre hemorrágica em São Paulo


A suspeita de coronavírus no Brasil

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais, o caso suspeito trata-se de uma estudante de 22 anos que viajou para a cidade de Wuhan, na China, entre 29 de agosto a 24 de janeiro de 2020. A paciente apresentou sintomas da doença e o quadro se encaixa na definição de caso suspeito para o novo coronavírus. Exames laboratoriais estão sendo realizados para identificar ou não o vírus.

A paciente foi conduzida para isolamento respiratório no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, em Minas Gerais. O estado geral da paciente encontra-se estável e sem complicações.


Viagens para a China

Em declaração, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aumentou o nível de alerta para alto em relação ao risco global do novo coronavírus. Por isso, o Ministério da Saúde orientou que viagens para a China devem ser realizadas somente em casos de extrema necessidade.

Com quase três mil casos confirmados, segundo o último boletim da OMS, todo o território chinês passa a ser considerado área de transmissão ativa da doença.

“Nós desaconselhamos e não proibimos as viagens para a China. Não se sabe, ainda, qual é a característica desse vírus que é novo; sabemos que ele tem alta letalidade. Não é recomendável que a pessoa se exponha a uma situação dessas e depois retorne ao Brasil e exponha mais pessoas. Recomendamos que, não sendo necessário, que não se faça viagens, até que o quadro todo esteja bem definido”, alertou o ministro da Saúde, em coletiva.

O novo coronavírus causou 106 mortes na China em 18 dias após o primeiro óbito, de acordo com o último balanço. Já são 4.537 infectados somente na China e mais 56 casos confirmados em pelo menos 18 países, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações