Quando o GPS serve para nada

0
380

Como prometi no primeiro artigo desta coluna, hoje quero revelar qual o primeiro e principal elemento para ser um investidor em 2020.

Por muito tempo a bússola se manteve entre os instrumentos de navegação mais difundidos entre lobos do mar e pessoas que jamais navegaram. Também pudera tamanha fama!

Afinal de contas, partindo do centro gravitacional da Terra, a agulha imantada aponta para o Norte e confere uma referência para guiar-se.

Contudo, somente pode se beneficiar de toda direção da bússola aquele que sabe bem para onde está indo.

Nem o GPS salva a pessoa confusa em sua visão!

E antes de se decidir por este ou aquele caminho sugerido pelo Google MAPS ou WAZE, é indispensável ter um motivo para sair de um ponto a outro.

O primeiro e principal elemento é ter um motivo claro e forte.

A clareza dá possibilidade de velocidade. Já a força do motivo tem o poder de fazê-lo persistir ainda que sobrevenham grandes desafios.

Você começará a investir em 2020 por qual motivo? O futuro dos seus filhos? A liberdade financeira de sua família? Tranquilidade na aposentadoria?

Seja qual for o seu motivo, saiba que ele precisa ser suficientemente forte e claro.

Esta é a fundamental lição que tenho ensinado aos 56 alunos presenciais e 317 alunos online do meu curso onde ensino como investir na Bolsa sem comprar ações. De todos esses alunos, 98% deles nunca havia sequer aberto a conta em uma corretora de valores. Hoje investem em alto nível. 

Ao decidir poupar parte da sua renda para investir há de se ter bem delineado o motivo pelo qual se está alocando recursos com a finalidade de rentabilização. 

Caso contrário, qualquer outro convite para desvirtuamento desta quantia sempre parecerá mais atraente e investir ficará para 2021.

Invista em você, em sua saúde e conhecimento, porque o futuro se constrói agora para ser vivido amanhã.

Sêneca já advertiu: “Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável”.


Leia mais colunas:

A doença é guardar dinheiro

Existe solução para os crescentes custos com saúde?

Coronavírus e a indústria de novas tecnologias em saúde

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here