Tricomoníase: o que é, quais os sintomas e tratamento

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível (IST), causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis, transmitido na relação sexual desprotegida com o infectado. Apesar de ser mais comum entre as mulheres, atingindo principalmente o trato vaginal inferior, a tricomoníase também afeta os homens.

Os primeiros sinais se manifestam entre cinco e 28 dias. A infecção ataca, principalmente, a vagina e a uretra, nas mulheres. Os sintomas mais comuns são corrimento com maus odores, sangramentos, coceiras na região e dor ao urinar. 

Microscopia óptica do Tricomonas vaginalis. Fonte: Só Biologia.

Para se prevenir, é necessário o uso do preservativo em todas as relações sexuais (vaginais, orais ou anais). É a forma mais simples e eficaz de evitar uma doença sexualmente transmissível ou uma gravidez indesejada.

A imagem ao lado é a microscopia óptica do protozoário causador da doença. A fonte é do site Só Biologia.

A cada ano, 156 milhões de novos casos de tricomoníase são registrados no mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). 


7 perguntas e respostas sobre a gonorreia

Mononucleose: a doença do beijo e os cuidados no Carnaval


Quais são os sintomas da Tricomoníase?

O paciente diagnosticado com a doença pode apresentar sintomas como corrimento amarelado, amarelo-esverdeado ou acinzentado com mau cheiro; às vezes ocorre prurido, sangramento após relação sexual, dor durante relação sexual e dor ao urinar; coceira nos órgãos sexuais.

Nos homens, os sintomas são semelhantes, podendo surgir — além dos citados acima — irritação na extremidade do pênis, inflamação no prepúcio e aumento na necessidade de urinar.

A tricomoníase pode ser assintomática, ou seja, não apresentar sinais ou sintomas da doença, mas é um facilitador para a transmissão de outros agentes infecciosos, como gonorreia e infecção por clamídia, e na gestação, quando não tratada, pode evoluir para rompimento prematuro da bolsa.


Caso exista a suspeita de qualquer sinal ou sintoma da tricomoníase é recomendado procurar um profissional de saúde para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado.


Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é baseado em critérios clínicos e deve ser feito por um(a) ginecologista ou urologista, através de um exame físico, que deve ser complementado com exames laboratoriais que permitem a identificação da Trichomonas vaginalis. Para isso, durante o exame físico o médico irá recolher amostras, como amostra do corrimento por exemplo, que são depois analisadas em laboratório. 

Os sintomas da Tricomoníase podem ser facilmente confundidos com os sintomas provocados por outras doenças sexualmente transmissíveis, e por isso o exame precisa ser complementado com exames laboratoriais. 

Tratamento

O tratamento da tricomoníase é realizado com medicamentos antibióticos e quimioterápicos. Ele deve ser realizado simultaneamente com os parceiros sexuais, sem que haja novas relações durante o período indicado pelo médico. O tratamento pode ser prescrito pelo médico(a) de família, clínico(a) geral, urologista, ginecologista ou infectologista.

Sem este cuidado, a tricomoníase aumenta o risco de transmissão pelo vírus do HIV e outras DSTs, além de causar complicações durante a gravidez, com parto prematuro e peso baixo do bebê ao nascimento.


Sífilis: epidemia da doença no Brasil preocupa

HIV: 135 mil pessoas vivem com o vírus no Brasil

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Síndrome em crianças associada à covid-19 é monitorada no Brasil

A maioria das crianças é assintomática ou apresenta sintomas leves da infecção por Covid-19. No entanto, recentemente foram identificados casos que desenvolvem uma resposta inflamatória sistêmica significativa.

Redes Sociais

3,125FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
55SeguidoresSeguir

Atualizações

Somente 1% de adolescentes do sexo masculino vai ao médico

Pesquisa foi feita com 267 estudantes de escolas públicas e privadas de 12 estados brasileiros de ambos os sexos, sendo 170 meninos e 87 meninas.

Doutor, você errou: breves dilemas e diretrizes sobre a caracterização do erro médico.

O erro aflige não somente o paciente que sofreu a intervenção médica ou o tratamento incorreto, mas também o médico envolvido, que terá de arcar com sérias consequências jurídico-disciplinares em função do equívoco.

Hepatites virais somam 40 mil casos no Brasil

No ano passado, de acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados 37.773 casos da doença, que pode ser causada por cinco tipos de vírus: A, B, C e D.

Estudo com 50 mil pessoas aponta segurança da Coronavac contra covid-19

Instituto Butantan conduz no Brasil os testes clínicos da vacina contra o coronavírus na fase 3, realizados em quase 6 mil voluntários.

Johnson inicia teste final da vacina para Covid-19 em 60 mil pessoas

A Johnson & Johnson anunciou nesta quarta-feira (23) o início do ensaio final da potencial vacina a Covid-19, de injeção única, com...