São Paulo registra 11 casos suspeitos de coronavírus

0
304

O estado de São Paulo tem o maior número de casos suspeitos de infecção pelo coronavírus (Covid-19) no país. A última atualização divulgada nessa quarta-feira (26) pelo Ministério da Saúde, registra 11 casos suspeitos de coronavírus. Os demais foram registrados nos estados da Paraíba, de Pernambuco, do Espírito Santo, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de Santa Catarina, totalizando 20 casos.

O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, explicou que dos 20 casos suspeitos, 12 pessoas estiveram na Itália, dois na Alemanha e dois na Tailândia. Ele explicou que o momento todo o sistema atua no trabalho de contenção para impedir a transmissão do Covid-19. “Estamos na fase de contenção, onde buscamos evitar que o vírus se espalhe. Caso se espalhe, vamos para a fase de mitigação, que é evitar casos graves e óbitos”, afirmou.

O primeiro caso de COVID-19 no Brasil foi confirmado na quarta-feira (26), em um homem de 61 anos, que havia visitado a Itália entre 9 a 21 de fevereiro. Ao retornar da viagem, o paciente apresentou sinais e sintomas compatíveis com a doença — febre, tosse seca, dor de garganta e coriza.

O homem foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein, onde realizou exames clínicos que apontaram a suspeita de infecção pelo vírus. A partir dos resultados preliminares, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova, confirmando a infecção.


Centro de Contingência do Coronavírus

Após a confirmação do primeiro caso de coronavírus na capital paulista, o Governo de São Paulo decidiu criar o Centro de Contingência do Coronavírus, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde. O responsável por conduzir e planejar as medidas de enfrentamento será o infectologista David Uip.

De acordo com a secretaria, o centro contará com profissionais especialistas das redes pública e privada, com ênfase na área de Infectologia. A lista inclui o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e os professores Marcos Boulos (HCFMUSP), Esper Kallas, (HCFMUSP), Luiz Fernando Aranha (Unifesp), Carlos Fortaleza (HC de Botucatu) e Benedito Maciel (HC de Ribeirão).


Coronavírus e a indústria de novas tecnologias em saúde

Existe solução para os crescentes custos com saúde?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here