COVID-19: tudo sobre o Coronavírus

A epidemia do novo coronavírus, que se espalhou a partir da região de Wuhan, na China, em dezembro de 2019, deixou o mundo inteiro em alerta. O vírus — que já causou 7.019 mortes em 152 países e territórios — foi classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como pandemia e emergência internacional. A doença provocada pelo vírus foi nomeada como COVID-19.

Ele pertence à família dos coronavírus, um grupo que reúne desde agentes infecciosos que provocam sintomas de resfriado até outros com manifestações mais graves, como os causadores da SARS (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

No mundo, já são 173.344 casos confirmados e 7.019 mortes em 152 países e territórios. Um mapa mostra a situação em tempo real.

No Brasil, a primeira morte relacionada ao novo coronavírus foi confirmada pelo Ministério da Saúde na terça-feira (17/03). A vítima era um homem de 62 anos, que estava em estado grave em São Paulo.


Como é transmitido?

As formas de transmissão do coronavírus ainda estão sendo investigadas, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está acontecendo.

Segundo as informações disponíveis até agora sobre o vírus, qualquer pessoa que tenha contato próximo com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

Apesar de ainda não estar claro qual a facilidade o coronavírus se espalha, a transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • gotículas de saliva;
  • espirro;
  • tosse;
  • catarro;
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.


Sintomas

Para os casos confirmados de doença, foram relatados sinais de problemas respiratórios, como um resfriado. Os principais sintomas conhecidos até o momento são:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Falta de ar.

Em casos mais graves, há registro de pneumonia, insuficiência renal e síndrome respiratória aguda grave.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano acredita que os sintomas do COVID-19 podem aparecer em 2 ou 14 dias após a exposição. 


OMS declara pandemia mundial de Coronavírus


Diagnóstico

No Brasil, o diagnóstico do coronavírus é realizado com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita da doença, é necessária a coleta de duas amostras, que serão encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).

Uma das amostras é enviada ao Centro Nacional de Influenza (NIC) e outra para análise de metagenômica. Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral.


Prevenção

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco de contrair ou transmitir infecções respiratórias, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Coronavírus e a indústria de novas tecnologias em saúde

Isadora Osório Silveira
Jornalista pela ESPM-Poa. Entusiasta por desafios, evolução e networking. Atualmente, em especialização na área da saúde e bem-estar.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,125FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
55SeguidoresSeguir

Atualizações

Somente 1% de adolescentes do sexo masculino vai ao médico

Pesquisa foi feita com 267 estudantes de escolas públicas e privadas de 12 estados brasileiros de ambos os sexos, sendo 170 meninos e 87 meninas.

Doutor, você errou: breves dilemas e diretrizes sobre a caracterização do erro médico.

O erro aflige não somente o paciente que sofreu a intervenção médica ou o tratamento incorreto, mas também o médico envolvido, que terá de arcar com sérias consequências jurídico-disciplinares em função do equívoco.

Hepatites virais somam 40 mil casos no Brasil

No ano passado, de acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados 37.773 casos da doença, que pode ser causada por cinco tipos de vírus: A, B, C e D.

Estudo com 50 mil pessoas aponta segurança da Coronavac contra covid-19

Instituto Butantan conduz no Brasil os testes clínicos da vacina contra o coronavírus na fase 3, realizados em quase 6 mil voluntários.

Johnson inicia teste final da vacina para Covid-19 em 60 mil pessoas

A Johnson & Johnson anunciou nesta quarta-feira (23) o início do ensaio final da potencial vacina a Covid-19, de injeção única, com...