Como está o avanço do coronavírus no Brasil?

1
598
Farmácias continuam funcionando em São Paulo no período de quarentena

Há um mês do primeiro caso confirmado do novo coronavírus no Brasil, a pandemia causou 77 mortes, conforme atualização do Ministério da Saúde (MS) divulgada nesta quinta-feira (26). Até o momento, foram anunciados 2.915 casos confirmados.

Os óbitos se concentram em São Paulo (58), Rio de Janeiro (09), Pernambuco (03), Ceará (03), Rio Grande do Sul (1), Amazonas (1), Santa Catarina (01) e Goiás (01). A taxa de letalidade é de 2,7%. Considerando os dados de um mês após o primeiro paciente, o Brasil fica atrás da China (213 mortes e 9.802 casos), mas a frente da Itália (29 mortes e 1.694 casos).

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, afirmou que a comparação entre Brasil e Itália deve ser ponderada por uma série de aspectos, como pelo fato dos países terem faixas etárias diferentes (a Itália com mais idosos) e pelo Brasil ter mais leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) do que aquele país.

“O fato de termos mais casos não significa nada. Nós começamos de forma mais lenta, mas em compensação a Itália teve crescimento abrupto, que esperamos que nós não tenhamos. Pode ser que daqui a uma semana, nossa situação seja muito melhor que a Itália. Temos uma expectativa que nós não vamos ter número de óbitos proporcional que Itália está tendo. Precisamos esperar mais algumas semanas”, respondeu.

O último balanço epidemiológico marcou um aumento de 54% nos casos em relação ao início da semana, quando foram contabilizadas 1.891 pessoas infectadas.

Como local de maior circulação do novo coronavírus no país, São Paulo lidera o número de pessoas infectadas, com 1052 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (421), Ceará (235), Distrito Federal (200), Rio Grande do Sul (158) e Minas Gerais (153).

Também registram casos confirmados Santa Catarina (122), Bahia (104), Paraná (102), Amazonas (67), Pernambuco (48), Espírito Santo (39), Goiás (39), Mato Grosso do Sul (25), Acre (24), Rio Grande do Norte (19), Sergipe (16), Pará (13), Alagoas (11), Mato Groso (11), Maranhão (10), Piauí (nove), Roraima (oito), Tocantins (sete), Rondônia (cinco), Paraíba (cinco) e Amapá (dois).

evolucao coronavirus confirmado
Fonte: Ministério da Saúde.

COVID-19: tudo sobre o Coronavírus
Quanto tempo o coronavírus sobrevive nas superfícies?
Idosos são mais vulneráveis ao coronavírus


Perspectivas do avanço do coronavírus

A perspectiva para o próximo mês é que a epidemia aumente no Brasil, uma vez que o país está no início da curva de crescimento pela qual outras nações já estão passando, como Estados Unidos, Itália e Espanha.

“Vamos ter 30 dias muito difíceis. Não vamos conseguir reduzir em 30 dias. Vamos enfrentar isso. É difícil fazer previsão. Essas simulações são muito precoces para fazer. O número de casos depende de variáveis da transmissão e do número de testes. Agora não vamos fazer previsão de quanto teremos em 30 dias. Nossa intenção é fazer que a curva reduza o máximo possível”,  declarou João Gabbardo dos Reis. 

Um problema adicional na avaliação da equipe é o fato desse próximo período de crescimento da curva do novo coronavírus coincidir com o pico de casos de dengue e com a epidemia de influenza. Será, como definiu o secretário Wanderson de Oliveira, uma “tempestade perfeita” que demandará uma atuação voltada às três doenças. 

“Teremos coronavírus, influenza e pico de dengue. Estamos com três epidemias simultâneas. Aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem focos de dengue e vacinem-se conforme o calendário. Se faltou vacina, converse com gestor e pergunte que dia que tem que voltar”, recomendou o secretário.


Por que o coronavírus se espalha fácil entre as pessoas?
Jogos olímpicos e paralímpicos são adiados por conta do novo coronavírus


Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil .
Fonte: Agência Brasil e Ministério da Saúde.

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here