O coronavírus pode ser transmitido por alimentos?

Em meio à pandemia, uma dúvida muito comum entre as pessoas é se o novo coronavírus pode ser transmitido por alimentos. O risco, no entanto, não foi comprovado cientificamente. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o comportamento do novo coronavírus é semelhante aos outros tipos da mesma família. Assim, ele precisa de um hospedeiro – animal ou humano – para se multiplicar.

Além disso, a Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos (European Food Safety Authority – EFSA), quando avaliou esse risco em outras epidemias causadas por vírus da mesma família, concluiu que não houve transmissão por alimentos. 

A transmissão do novo coronavírus ocorre principalmente por meio de gotículas e secreções que saem do trato respiratório superior (boca e nariz) de uma pessoa infectada e atingem as mucosas (olhos, nariz e boca) de outros indivíduos. Pode ocorrer também pelo contato das mãos com superfícies contaminadas com o vírus, que pode ser transferido para os olhos, nariz e boca.

A professora especialista em microbiologia de alimentos do Centro de Pesquisa em Alimentos (FoRC) da Universidade de São Paulo (USP), Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco, ressaltou que “o vírus não é um ser vivo e, portanto, não é capaz de se multiplicar nos alimentos, como fazem as bactérias. Vírus precisam infectar células para se replicar. O alimento ou sua embalagem são apenas veículos, ou seja, podem ter a superfície contaminada caso tenham sido manipulados por alguém com a doença, assim como uma maçaneta de porta ou qualquer outro objeto. Basta higienizar que não há problema”, explicou à Agência FAPESP.

O fato é que o vírus pode persistir por poucas horas ou vários dias, a depender da superfície, da temperatura e da umidade do ambiente, mas é eliminado pela higienização ou desinfecção. Por isso, uma das estratégias mais importantes é redobrar os cuidados com a higiene, que previnem uma série de outras doenças. 


LEIA MAIS:
Como lidar com o isolamento social?
Coronavírus, gripe e resfriado: qual a diferença?
Quanto tempo o coronavírus sobrevive nas superfícies?


Medidas básicas para higienizar os alimentos

1) Quem for preparar os alimentos, seja em casa ou nos serviços de alimentação, a pessoa deve lavar as mãos com frequência e, principalmente, depois de: 

  • Tossir, espirrar, coçar ou assoar o nariz; 
  • Coçar os olhos ou tocar na boca;
  • Após preparar alimentos crus, como carne, vegetais e frutas;
  • Após usar o celular, dinheiro, lixo, chaves, maçanetas, entre outros objetos;
  • Depois de ir ao banheiro;
  • Retornar dos intervalos;

Para lavar as mãos, usar água corrente e sabão líquido ou outro produto destinado ao mesmo fim. É preciso esfregar bem todas as áreas das mãos, incluindo as pontas e as regiões entre os dedos, além dos punhos. 

2) Mantenha as unhas curtas, de preferência sem esmaltes, e não utilizar acessórios que possam acumular sujeiras e microrganismos, como anéis, aliança e relógio.  

4) Não conversar, espirrar, tossir, ou assoviar em cima dos alimentos, superfícies ou utensílios. A recomendação é tanto para o preparo quanto na hora de servir.

5) As superfícies e utensílios que entram em contato com os alimentos devem estar limpos. Usar produtos de limpeza devidamente regularizados na Anvisa, por isso, é importante conferir as informações das embalagens.

6) Para alimentos que serão consumidos crus, como os vegetais folhosos, a recomendação é separar as folhas uma a uma, lavá-las com água abundante e deixá-las por 15 minutos em uma solução de água sanitária (uma colher de sopa diluída em um litro de água), lavando-as depois somente com água novamente. Para os não folhosos e frutas, o procedimento deve ser o mesmo.

8) Cozinhar bem os alimentos, uma vez que muitos dos agentes transmissores da doença são sensíveis ao calor. No entanto, é preciso evitar uma nova contaminação após o aquecimento, principalmente se o alimento não for aquecido novamente antes de ser consumido. É importante também não deixar alimentos cozidos em contato com alimentos crus, para evitar a contaminação cruzada.


Ao comprar produtos alimentícios, é importante higienizar todas as embalagens e superfícies antes de guardá-los. Após isso, lavar as mãos.

O consumo de refeições e alimentos à pronta entrega em domicílio, retiradas em balcões de atendimento ou por drive-thru requer cuidados extras. Recomenda-se optar por empresas de confiança e fazer a encomenda diretamente, por telefone ou aplicativos, evitando o contato. Também deve ser feita a desinfecção das embalagens antes de abri-las, com água e sabão ou álcool em gel. Não consumir produtos com embalagem violada.

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações

%d blogueiros gostam disto: