Wuhan proíbe oficialmente o consumo de animais silvestres

0
472

As autoridades da cidade chinesa Wuhan, primeiro epicentro do surto do novo coronavírus, proibiram oficialmente o consumo, a caça e a criação de animais selvagens. Em nota, o governo municipal determinou que a proibição entrará em vigor imediatamente e durará cinco anos.

Os primeiros casos de infecção foram encontrados em pessoas expostas a um mercado de animais silvestres na cidade, onde morcegos, cobras, civetas e outros animais selvagens eram vendidos, incluindo uma seção onde encontravam-se vivos.

Pesquisadores suspeitam que o novo coronavírus provavelmente sofreu uma mutação de um coronavírus comum em animais, passando então para os seres humanos. A doença já infectou quase 5 milhões de pessoas em todo o mundo, causando o total de 329.300 mortes até esta quinta-feira (21).


A cidade também proibiu toda a caça de animais selvagens dentro de seus limites, declarando Wuhan “um santuário da vida selvagem”, com exceção da caça sancionada pelo governo por “pesquisa científica, regulação populacional, monitoramento de doenças epidêmicas e outras circunstâncias especiais”.

No documento, o governo de Wuhan também impôs novos controles rígidos sobre a criação de todos os animais selvagens, deixando claro que nenhum poderia ser criado como alimento. As autoridades disseram que a administração local participaria do esquema nacional mais amplo para compensar criadores de animais selvagens que serão afetados, para então se retirar da criação.

Várias províncias chinesas já implementaram um programa para compensar financeiramente os criadores de animais silvestres, de forma a conter a prática.

Os criadores destas espécies são apoiados na província de Hubei, onde se encontra a cidade de Wuhan, por meio de incentivos para a produção de chá ou de vegetais. Um programa de crédito também foi implantado para ajudar os que abandonam o setor e para travar o comércio de espécies com muita criação, como cobras, civetas ou ratos.

Em fevereiro, a China já havia emitido restrições sobre a criação, o abate e o consumo de animais selvagens em todo o país, mas as medidas de Wuhan são ainda mais restritivas. Pequim, Shenzhen e Zhuhai também já tomaram decisões parecidas.


Foto: Jason Beaubien / NPR


LEIA MAIS:
Cientistas estudam síndrome em crianças relacionada ao coronavírus
Pesquisa afirma contágio pelo novo coronavírus entre gatos
Covid-19: vacina testada em humanos mostra dados promissores

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here