Brasileiros identificam mecanismo que torna Covid-19 mais grave em diabéticos

Um grupo de pesquisadores brasileiros identificou um dos mecanismos responsáveis por aumentar a gravidade da Covid-19 em pacientes diabéticos. O artigo sugere que a alta concentração de glicose no sangue permite maior replicação do Sars-Cov-2.

Além disso, os cientistas identificaram que a substância tem papel fundamental na produção de células de defesa e, por consequência, no agravamento dos casos de Covid-19 com o fenômeno identificado como “tempestade de citocinas”, quando há descontrole na resposta imunológica.

O artigo foi submetido à revista Cell Metabolism, e aguarda revisão de outros pesquisadores, mas já está disponível em uma prévia, preprint.

Os experimentos feitos em laboratório mostram que o teor mais alto de glicose no sangue é captado por um tipo de célula de defesa – conhecido como monócito – e serve como uma fonte de energia extra, permitindo ao novo coronavírus uma replicação mais acentuada do que em um organismo saudável. Em resposta à crescente carga viral, os monócitos passam a liberar uma grande quantidade de citocinas – proteínas com ação inflamatória –, que causam uma série de efeitos, como a morte de células pulmonares.

Os pesquisadores observaram ainda no pulmão de pacientes graves uma grande quantidade de monócitos e macrófagos, duas células de defesa e de controle da homeostase do organismo.


Diabéticos X Novo coronavírus

A diabetes  é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não é mais capaz de produzir insulina ou quando o corpo não consegue fazer bom uso da insulina que produz. A elevação do açúcar no sangue, uma característica típica da doença, facilita ou predispõe a ocorrência de infecções, que podem ser causadas por vírus, bactérias ou fungos. E se aplica também ao novo coronavírus.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde brasileiro, os diabéticos estão entre os grupos mais vulneráveis por dois motivos principais: excesso de glicose no sangue e tendência a inflamação – essas duas condições impedem que o sistema imunológico responda adequadamente a infecções por vírus e bactérias.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), recomenda alguns cuidados específicos que pacientes diabéticos devem tomar em razão da covid-19.

  • Continuar tomando os remédios para diabetes e insulina;
  • Manter uma alimentação saudável e praticar alguma atividade física;
  • Controlar a glicemia – testar o açúcar no sangue a cada quatro horas e acompanhar os resultados;
  • Tomar vacinas para outras infecções virais e bacterianas;
  • Seguir as orientações do seu médico.

No Brasil, 16,8 milhões de adultos, entre 20 e 79 anos, são diabéticos, segundo a Federação Internacional de Diabete (IDF). A maioria (90%) é diagnosticada com o tipo 2, que geralmente está associada ao sobrepeso e fatores de risco como hipertensão, maus hábitos alimentares, sedentarismo e baixo nível de colesterol bom.


LEIA MAIS:
Cloroquina e hidroxicloroquina: estudo mostra nenhuma evidência de benefício
Cientistas estudam síndrome em crianças relacionada ao coronavírus
Covid-19: vacina testada em humanos mostra dados promissores

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações