Mais cuidado com acidentes domésticos durante isolamento

Com o isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus, médicos alertam para o cuidado com acidentes domésticos. Nesse período, é natural que as pessoas procurem atividades para ocupar o tempo, como fazer pequenas reformas e arrumações, além de praticar atividades físicas e aderir a brincadeiras da internet para se distrair. Mas isso pode ser perigoso.

Segundo o Ministério da Saúde, 38% dos atendimentos nas áreas de urgência e emergência dos hospitais são causados por acidentes domésticos. Os riscos atingem todas as faixas etárias, desde crianças que sofrem queimaduras, cortes e intoxicações, até idosos, que são vulneráveis a quedas dentro da residência.


Acidente doméstico, conforme definido Organização Mundial de Saúde (OMS), é todo acontecimento causal independente da vontade humana que se dá nas imediações da residência. Isso ocorre, principalmente, devido ao descuido das pessoas em relação a detalhes que poderiam evitar tais ocorrências.


A Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé) alerta principalmente sobre as caídas. O diretor da regional São Paulo da ABTPé, Danilo Ryuko Cândido Nishikawa, destacou que quedas de altura (de escada, cadeiras e cama) e acidentes por instrumentos perfuro-cortantes – vidro, faca, serra, prego – acabam se tornando mais frequentes. “É preciso ficar atento, pois as quedas de altura podem causar lesões simples, como leves entorses do tornozelo, ou fraturas graves da tíbia, fíbula, calcâneo e metatarsos, que necessitem de tratamento cirúrgico.”

“A maior frequência do manuseio de instrumentos de cozinha ou de construção pode causar lesões nos tendões, nervos e vasos sanguíneos da mão, levando a consequências graves”, acrescentou Nishikawa, que é especialista em cirurgia do pé e tornozelo.

Também especialista em cirurgia do pé e tornozelo, o presidente da ABTPé, José Antônio Veiga Sanhudo, alertou para a necessidade de cuidado com brincadeiras disseminadas pela internet. “É preciso tomar muito cuidado ao tentar imitar os desafios e brincadeiras lançados na internet, pois o que era para ser diversão pode acabar em lesões que, dependendo da situação, podem deixar sequelas.”

Sanhudo ressaltou que as crianças e os idosos exigem mais atenção e cuidados dentro de casa, pois situações corriqueiras podem se transformar em acidentes. Com o confinamento, as crianças ficam mais agitadas e passam a explorar novos lugares na casa, o que pode colocá-las em risco. “A casa se torna o playground, o parque e a quadra de esportes. Com isso, podem ocorrer desde lesões menores, como imprensar o dedo nas portas e pequenas contusões, até fraturas do fêmur, tornozelo, cotovelo, mão e punho. Ficar de olho é a principal medida para protegê-las”, afirmou o especialista.

Segundo os médicos, os idosos apresentam fraqueza muscular, piora do equilíbrio e fragilidade óssea pelo avanço da idade e são mais suscetíveis a quedas dentro de casa. Acidentes domésticos podem causar, por exemplo, fraturas do fêmur, punho e ombro nos idosos devido a essas condições. “É importante evitar tapetes e objetos pelo chão da casa, isolar pisos escorregadios, manter os ambientes iluminados e não subir em bancos, cadeiras ou escadas”, alertou Nishikawa. “E, em caso de acidente, não hesite em procurar o pronto-socorro ortopédico.”


Com o objetivo de prevenir os acidentes domésticos e orientar as famílias sobre medidas de primeiros socorros, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) lançou a cartilha “Prevenção aos acidentes domésticos e guia rápido de primeiros socorros”.

O material visa contribuir com a segurança das famílias, principalmente neste período de quarentena e isolamento social no Brasil.

O guia traz orientações importantes a respeito de acidentes domésticos que podem acontecer com mais frequência, devido ao maior tempo que as famílias têm passado dentro de casa.


Tome cuidado

Acidentes domésticos são mais comuns do que se imagina. A boa notícia é que, em grande parte dos casos, esse tipo de ocorrência pode ser evitado com algumas medidas simples. Veja algumas dicas de como prevenir.


Queimaduras

Um dos grandes perigos dentro de casa está na cozinha: o fogão. Os casos de queimaduras domésticas são muito comuns. A maioria dos acidentes envolve crianças pequenas, que, por curiosidade e desaviso, mexem nas panelas que estão no fogo.

Uma forma de evitar é sempre manter os cabos das panelas virados para dentro, desse jeito a criança não alcançará para puxá-las nem correrá o risco de passar por perto e bater no cabo da panela, derrubando-a.

No caso de queimaduras térmicas, o recomendado é resfriar a área queimada o mais
rápido possível com água fria (entre 8º e 15ºC), cobrir as regiões queimadas com curativo e com muito cuidado. Se necessário, transportar imediatamente para o hospital. Não aplique nenhum tipo de produto no local.


Intoxicação com produtos de limpeza

Intoxicação com produtos de limpeza também é uma ocorrência muito comum. Neste momento, o uso do álcool em gel tem sido amplamente divulgado, no entanto, o líquido é altamente inflamável. Por isso, o produto deve ficar bem longe da cozinha. 

Para evitar esse tipo de acidentes, mantenha os produtos de limpeza fora do alcance de crianças e animais. Evite o armazenamento em recipientes diferentes e não etiquetados. Além disso, não realize a mistura de produtos químicos. Ao utilizar, certifique-se que tenha ventilação no local.

Supervisione as crianças, não permitindo que elas acessem os ambientes onde esses produtos são guardados. Não deixe detergentes e produtos de limpeza em geral embaixo da pia ou no chão dos banheiros.

Em caso de emergências toxicológicas, entre em contato com o Centro de Informação e Assistência Toxicológica, o CIATox: 0800-722-6001.


Quedas

Quedas são comuns em qualquer fase da vida, mas no caso de quem é idoso, uma simples queda pode se tornar um grande problema devido à fragilidade dos ossos.

Por isso, evitar tapetes pode ser uma boa opção. Caso seja indispensável o suo, dar preferência aos antiderrapantes. Além disso, adaptar espaços dentro de casa com corrimão e barras para dar apoio, como no banheiro e em escadas. Deixar os cômodos sempre iluminados também pode fazer a diferença.

Com esses cuidados simples, a casa pode se tornar um ambiente mais seguro.


LEIA MAIS:
Saúde e Finanças
Junho vermelho destaca a importância da doação de sangue
Somente um em cada três pacientes graves por covid-19 sobrevive no Brasil


Fonte: Ministério da Saúde, Agência Brasil e Anvisa.

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações