Sinovac anuncia potencial em testes de vacinas, com 90% de sucesso

O laboratório Sinovac, fornecedor líder de produtos biofarmacêuticos na China e uma das empresas mais avançadas na busca por uma vacina contra o novo coronavírus, anunciou importante avanço na injeção contra a infecção, em comunicado.

As conclusões preliminares vêm dos ensaios de fase I e II na China. Um total de 743 voluntários saudáveis, ​​com idades entre 18 e 59 anos, receberam injeções em dois horários ou um placebo. Desses, 143 pessoas estão na fase I e 600 estão na fase II.

De acordo com a Sinovac, os resultados dos ensaios clínicos da fase II mostram que a vacina induz anticorpos neutralizantes 14 dias após a vacinação. Segundo os dados, mais de 90% das pessoas que receberam doses da vacina produziram anticorpos contra a covid-19, o que conclui que a injeção candidata pode induzir resposta imune positiva.

De acordo com a agência Bloomberg, a vacina do laboratório Sinovac está entre as cinco doses experimentais chinesas que atingiram o estágio final crucial dos testes em humanos antes de serem aprovadas para uso público.  


Parceria com São Paulo

O governo do estado de São Paulo anunciou uma parceria com a empresa farmacêutica chinesa e o Instituto Butantan, para a produção e teste de 9.000 voluntários brasileiros de uma possível vacina contra o novo coronavírus nos próximos 12 meses.

“É um dia histórico para São Paulo, Brasil e a ciência mundial. O Instituto Butantan fez um acordo de tecnologia com a gigante farmacêutica chinesa Sinovac Biotech para a produção da vacina do coronavírus”, declarou o governador de São Paulo, João Doria, em entrevista à imprensa no Palácio Bandeirantes.

São Paulo investirá 85 milhões de reais (US$ 17 milhões) através do Instituto Butantan para que a empresa desenvolva a terceira e última fase da vacina em território brasileiro, com transferência de tecnologia, segundo informação oficial.

“O acordo prevê a participação de São Paulo na realização de testes clínicos dessa vacina, com o acompanhamento de 9 mil voluntários brasileiros a partir do próximo mês de julho. Dentro, portanto, de 3 semanas, 9 mil voluntários já estarão sendo testados aqui no Brasil“, afirmou o governador. Doria acrescentou que a vacina poderá estar disponível no primeiro semestre de 2021, caso se revele efetiva contra o vírus.

A parceria foi comentada pelo presidente e CEO da Sinovac, Weidong Yin, em um comunicado: “Estamos orgulhosos de participar da luta contra a COVID-19, e esperamos trabalhar com o Instituto Butantan para ajudar o povo do Brasil. Através desta parceria, a Sinovac poderá aumentar a velocidade sem precedentes do desenvolvimento da CoronaVac sem comprometer nossos altos padrões e procedimentos de segurança.”

Caso a vacina seja aprovada como eficaz pelas autoridades científicas do Brasil, a Sinovac e o Instituto Butantan firmarão um novo acordo de transferência de tecnologia para a produção em escala industrial tanto na China como no Brasil para fornecê-la ao Sistema Único de Saúde (SUS), a rede de saúde pública brasileira.


LEIA MAIS:
Vacina por spray nasal será testada contra a covid-19
Jovem com coronavírus recebe transplante de pulmão duplo após danos irreversíveis
Estados enfrentam falta de medicamentos para sedar e entubar pacientes com covid-19

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,811FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações