Planejamento para uma vida saudável I — Proteção

0
532
assinatura ricardo colunista

No artigo Planejamento para uma Vida Saudável abordamos a importância de uma estrutura financeira organizada e planejada para passar por momentos de imprevistos relacionados a saúde e também, o que chamei de saúde financeira, para se obter estabilidade psicologia, visto as pesquisas mencionadas do quanto as finanças afetam este pilar.

A continuidade dos artigos trarão a forma para se obter esta estrutura de planejamento financeiro, seguindo uma ordem simples como demonstrada no desenho abaixo:


esquema ricardo infohealth

Partindo do princípio que você possui uma renda proveniente de um trabalho independentemente de qual seja esta atividade e o valor que ela representa em ganhos. Com esta renda,  deve-se criar a estrutura financeira que, com o passar dos tempos e hábitos criados, será o DNA financeiro da sua vida. Porque eu chamo assim? Porque, assim como sair de uma dívida ou abandonar o hábito de construir patrimônio pautado em dívidas é uma missão difícil, após criar um hábito saudável e bem estruturado financeiramente falando, será tão difícil de quebrá-lo que vai perceber que criou-se uma estrutura financeira blindada, que minimiza muito os riscos e, ao mesmo tempo, evita que imprevistos impacte negativamente nas finanças, trazendo conforto e tranquilidade mesmo em momentos delicados que por ventura seremos colocados a prova.

Talvez você esteja pensando “preciso mesmo me proteger, ter ferramentas de acúmulo de patrimônio e rentabilidade?”. A resposta é simples e complexa ao mesmo tempo, pois tudo vai depender dos seus projetos e objetivos pós período produtivo. Chamo de período produtivo o momento em que entramos no mercado de trabalho até quando não tivermos mais energia para trabalhar (ou até definirmos que será a idade de aposentadoria). Logo, se desejo me aposentar em algum momento, ou realizar algum projeto pessoal (como dar volta ao mundo, por exemplo), a resposta é sim! Neste caso, eu pergunto “Você conhece alguém que não possui projetos e não deseje construir nada, nem mesmo uma aposentadoria saudável?”. Raros são os seres humanos que não desejam realizar projetos e não se enxergam aposentados, saudáveis e com recurso para viver esse momento especial da vida humana. A pergunta é, todos querem mas quantos de fato o fazem?

O texto acima se faz necessário para situar o ponto de partida desta série de artigos que trataremos sobre planejamento financeiro “blindado”. Levando isto em consideração, vamos para o primeiro passo que é o ponto principal deste artigo:
A Proteção para Imprevistos.

A proteção para imprevistos está logo acima da base, pois o primeiro passo para uma saúde financeira e psicológica é estar preparado para o acontecimento de algo não planejado que impeça a continuidade de uma atividade remunerada impactando diretamente a estrutura base, ou seja, a geração de receita para o cumprimento dos compromissos financeiros relacionados ao padrão de vida que podem estar ligados a uma gama enorme de possibilidades, como por exemplo:

  • Algo que fuja do nosso controle como a pandemia que estamos vivendo neste momento (COVID-19 que iniciou na China no final de 2019 e afetou o Brasil com os primeiros sintomas registrados oficialmente já no final de fevereiro de 2020 e se estende até o momento em que este artigo está sendo escrito) – Banco Central prevê retração de 6,4% do PIB nacional em meio a pandemia, ou seja, este número pode ser até pior dependendo da extensão do tempo que levará.
    Fonte: https://br.reuters.com/article/topnews/idbrkbn23w1p1-obrtp

É compreensível a dificuldade de visualizar estes cenários apesar de serem apenas alguns dos que podem vir a acontecer e, de certa forma, deixa este artigo um tanto “pesado”, porém, o que nos faz acreditar que não seremos contemplados com um imprevisto como esse?! Afinal, quantos atletas profissionais que possuem acompanhamento nutricional semanal, realizam exercícios físicos intensos e gozam de uma saúde ímpar tiveram suas vidas profissionais interrompidas por uma doença grave? Será que este item do planejamento financeiro estava “blindado” ou será que faliram junto com suas atividades? E quantas pessoas diriam que o mundo seria acometido por um vírus altamente contagioso como o que estamos vivendo neste momento? Por isso, chamamos de imprevistos e neste momento quem está com seu planejamento em dia certamente está mais tranquilo e, após toda esta situação passar, sairá na frente.

Gosto de fazer essas reflexões porque nós somos eternos otimistas e acreditamos que se simplesmente trabalharmos e “ganharmos dinheiro” a natureza se encarrega do restante. Em muitos casos sim, mas você está disposto a girar esta roleta? Eu não, prefiro estar preparado caso algo vier a ocorrer e, se não ocorrer, passarei a vida tranquilo, psicologicamente forte e, ainda, com dinheiro no bolso. Parece um bom caminho?

Vou considerar que sim e trazer aqui alguns pontos de como transformar esta importante etapa do planejamento em um caixa forte! Primeiro ponto é dividir o item em dois. O primeiro será Proteção para Imprevistos e o segundo Proteção para Emergências, ambos dentro da categoria Proteção.

Neste caso, para o primeiro iremos utilizar um seguro em vida. Perceba a diferença, não é um seguro de morte como conhecemos no mercado e sim um seguro em vida, que proporcione benefícios em vida para imprevistos. Geralmente, destina-se 3% da receita para a aquisição de um bom seguro. Você encontrará seguros resgatáveis que geram um fundo de reserva complementar para o futuro onde poderá decidir se deseja permanecer com o seguro de vida para sua família ou reverter em reserva para usufruir em vida. Seguro saúde que protegem contra doenças graves, custos hospitalares, invalidez, cirurgias e vem para complementar o planejamento blindando imprevistos que em sua maioria devastam a vida financeira das pessoas quando vem a ocorrer. Isto evita que você terceirize essa responsabilidade para sua família que provavelmente não esteja preparada para isto e em muitos casos dilapidam patrimônio construído em uma vida inteira de trabalho pesado por uma falta de planejamento dos filhos ou impeça e atrase a vida dos filhos caso você já seja pai/mãe e não esteja planejado(a) e, ainda, que dependa de um governo falido e com todos os problemas que conhecemos de desvios de dinheiro da saúde para “outros caixas”.

O segundo, a proteção para emergências, será um caixa para eventuais despesas. Primeiro exemplo que me vem a cabeça foi quando um amigo teve um carro furtado e não tinha seguro, por “sorte”ou orientação, ele possuía uma reserva de emergência e assim pôde resolver sua situação sem entrar em dívidas. Geralmente, destina-se 2% da receita para esta reserva e ela pode ser constituída de diversas formas. Na minha opinião, neste caso, pode-se utilizar desde títulos do governo (sejam títulos nacionais ou internacionais, chamados bonds) e já com valores baixos é possível começar a se organizar, CDBs que proporcionem algo acima de 110% do CDI encontrados hoje em dia até em contas corrente de bancos digitais, em moedas fortes como o dólar (cuidado com câmbio) e, até mesmo, o ouro. Tudo isso pode ser adquirido através de corretoras, assessorais de investimentos e até mesmo em bancos tradicionais (apesar destes últimos possuírem altas taxas, mas que não vem ao encontro do que estamos discutindo no artigo). Lembrando ainda que, neste caso, não estamos vislumbrando rentabilidade e sim um caixa com liquidez que não se desvalorize e proporcione segurança.

Caso queira discutir sobre o modelo de alocação para reserva de emergência sinta-se a vontade para enviar um email para mim, será muito gratificante conversar sobre este assunto que atualmente gera polêmica diante das políticas monetárias de redução da taxa básica de juros. Analisando o conteúdo deste artigo, percebemos que podemos começar a formar nosso “caixa forte” de uma maneira simples. Destinando apenas 5% da receita para o que chamaria de ativo garantidor. Ativo porque ele vai compor meu patrimônio e se nenhum imprevisto ocorrer ele pode ser utilizado como complemento lá no futuro. E garantidor, porque no caso de algum imprevisto conforme citamos acima, não será necessário se desfazer de nada e muito menos entrar em dívidas longas e caras como temos em nosso país.

grafico ricardo infohealth

Esse gráfico de pizza acima vai nos acompanhar durante os artigos que iremos divulgar sobre cada tema. É possível perceber que destacamos os percentuais destinados ao item proteção, divididos conforme descrito nos parágrafos acima. Com o passar dos artigos, nosso gráfico ficará preenchido com todos os itens do planejamento.

Espero que este tema tenha engajamento com você, pois tenho uma convicção de que ao final desta “trilogia” de artigos você conseguirá se planejar e viver uma vida mais tranquila, sabendo que sua jornada financeira será tão saudável como sua saúde e poderá usufruir disto no futuro e de fato viver a melhor idade, sem preocupações e com muita felicidade.

Continue acompanhando os próximos artigos e, por favor, fique a vontade e deixe seu comentário abaixo!

Muito obrigado pela leitura! Cuide de suas finanças e de sua saúde.


LEIA MAIS:
Planejamento para uma vida saudável
Saúde e Finanças

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here