“Bala de prata” contra covid-19 pode nunca existir, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde alertou que, apesar das fortes esperanças de uma vacina, talvez nunca haja uma “bala de prata” para o novo coronavírus, e o caminho para a normalidade seria longo. “Não existe uma bala de prata no momento e pode nunca haver”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Gebreyesus, em entrevista online na sede da entidade em Genebra, nesta segunda-feira (03).

Mais de 18,14 milhões de pessoas em todo o mundo foram infectadas e 688.080 morreram por conta da covid-19. No Brasil, segundo o último balanço, a doença já matou mais de 94 mil pessoas e contabiliza 2,7 milhões de casos de contaminação.

O diretor Tedros Adhanom Ghebreyesus e o chefe de emergências da OMS, Mike Ryan, incitaram todas as nações a aplicar rigorosamente medidas de saúde, como uso de máscara, distanciamento social, lavagem das mãos e testes. “A mensagem para as pessoas e os governos é clara: ‘Faça tudo'”, disse Tedros. Ele destacou que as máscaras devem se tornar um símbolo de solidariedade em todo o mundo.

“Atualmente, várias vacinas estão na fase três dos ensaios clínicos e todos esperamos ter várias vacinas eficazes que possam ajudar a impedir a infecção de pessoas. No entanto, não há bala de prata no momento – e talvez nunca exista.” Ryan disse que países com altas taxas de transmissão, incluindo Brasil e Índia, precisam se preparar para uma grande batalha: “A saída é longa e requer um compromisso sustentado”.


Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


LEIA MAIS:
O que os números dizem sobre o novo coronavírus e a Covid-19 no Brasil
OMS alerta jovens sobre covid-19 “não são invencíveis”
Aplicativo Coronavírus-SUS ajudará a rastrear contatos de infectados com covid-19

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,123FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
55SeguidoresSeguir

Atualizações

Somente 1% de adolescentes do sexo masculino vai ao médico

Pesquisa foi feita com 267 estudantes de escolas públicas e privadas de 12 estados brasileiros de ambos os sexos, sendo 170 meninos e 87 meninas.

Doutor, você errou: breves dilemas e diretrizes sobre a caracterização do erro médico.

O erro aflige não somente o paciente que sofreu a intervenção médica ou o tratamento incorreto, mas também o médico envolvido, que terá de arcar com sérias consequências jurídico-disciplinares em função do equívoco.

Hepatites virais somam 40 mil casos no Brasil

No ano passado, de acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados 37.773 casos da doença, que pode ser causada por cinco tipos de vírus: A, B, C e D.

Estudo com 50 mil pessoas aponta segurança da Coronavac contra covid-19

Instituto Butantan conduz no Brasil os testes clínicos da vacina contra o coronavírus na fase 3, realizados em quase 6 mil voluntários.

Johnson inicia teste final da vacina para Covid-19 em 60 mil pessoas

A Johnson & Johnson anunciou nesta quarta-feira (23) o início do ensaio final da potencial vacina a Covid-19, de injeção única, com...