Medicação para pressão alta melhora as taxas de sobrevivência de Covid-19

0
859

A medicação para hipertensão pode melhorar as taxas de sobrevivência de Covid-19 e reduzir a gravidade da infecção — de acordo com nova pesquisa da Universidade de East Anglia, no Reino Unido. O risco de gravidade da doença e morte foi reduzido para pacientes com pressão alta que estavam tomando inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA) ou bloqueadores do receptor de angiotensina (ARB).

Os dados mostraram que pacientes hipertensos que já usavam remédios do tipo inibidor do sistema renina-angiotensina-aldosterona (RAAS), tiveram menos chances de ser internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), precisar de suporte de oxigênio (com ou sem ventilação mecânica) e de morrer.

O estudo foi realizado em 28.000 pacientes que tomam anti-hipertensivos, uma classe de medicamentos que são utilizados para tratar a hipertensão, pressão alta. Além disso, analisaram dados de 19 estudos relacionados. 

Em nota, o pesquisador principal, da Escola de Medicina de Norwich da UEA, Dr. Vassilios Vassiliou disse: “Sabemos que os pacientes com doenças cardiovasculares correm um risco particular de infecção grave por Covid-19. Mas no início da pandemia, havia a preocupação de que medicamentos específicos para sangue alto a pressão pode estar associada a resultados piores para pacientes com Covid-19.

No estudo, os cientistas explicam que os inibidores do RAAS, embora usados ​​principalmente para hipertensão, são indicados também em pacientes cardiovasculares, como infarto do miocárdio anterior, insuficiência cardíaca, doença cerebrovascular ou doença renal crônica.

De acordo com o Dr. Vassiliou, “um terço dos pacientes da Covid-19 com pressão alta e um quarto dos pacientes em geral estavam tomando IECA / ARBs. Isso é provavelmente devido ao aumento do risco de infecção em pacientes com comorbidades como doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes.”.

No entanto, ele destacou que o mais importante foi mostrar que não há evidências de que esses medicamentos possam aumentar a gravidade do Covid-19 ou o risco de morte. “Pelo contrário, descobrimos que havia um risco significativamente menor de morte e resultados críticos, então eles podem de fato ter um papel protetor – particularmente em pacientes com hipertensão“, afirmou.


LEIA MAIS:
EUA autorizam o uso de plasma sanguíneo para tratar covid-19
Pesquisadores encontram método para regenerar a cartilagem nas articulações
Pediatras alertam para queda na vacinação durante a pandemia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here