Você sabe por que o seu corpo tem o formato que tem?

0
1225

É muito comum as pessoas não estarem felizes com a sua própria imagem no espelho e quererem a qualquer custo mudá-las. Às vezes, querendo perder uma gordurinha aqui, outras querendo ganhar volume ali, e alguns querendo mudar tudo. Não, isso não é exceção. A maioria das pessoas, dou ênfase aqui às mulheres, querem um formato de corpo diferente do que se tem.

O que nenhuma delas sabe é que o formato do seu corpo, suas curvas e suas “imperfeições” dizem tudo sobre ela. E quando elas querem mudar (seja com excessos, privações ou procedimentos médicos) elas, na verdade, estão negando sua própria história.

Não se trata da genética. O formato do corpo é moldado por informações que vivenciamos na nossa infância que vão além do código genético.

O corpo de cada indivíduo tem o formato que tem por causa das cinco etapas de formação que você passou desde o útero da sua mãe até os seus cinco anos de idade, enquanto a sua medula estava sendo mielinizada e o seu sistema nervoso estava sendo programado, dando tanto para a sua mente quanto para o seu corpo o formato que eles têm hoje. Existem cinco formas básicas de interagir com o mundo e elas estão configuradas no sistema nervoso de cada pessoa. A gente chama essas formas de traços de caráter.

Recentemente foi publicado no site da Veja, da Exame e da InfoMoney que um trio de pesquisadores brasileiros desenvolveram uma ferramenta de análise corporal que está revolucionando a forma como as pessoas enfrentam e resolvem os seus problemas.

Esses pesquisadores se basearam nos conceitos desenvolvidos pelo psicanalista Wilhelm Reich através de trabalhos e pesquisas publicados em seu livro, em 1933, chamado “Análise do Caráter”. Esses conceitos serviram de base, também, para a análise bioenergética, técnica que revela como a dinâmica estrutural do corpo físico pode manifestar a mesma dinâmica do caráter.

Nesse texto você vai entender como foi que a sua mente e o seu corpo se desenvolveram em um processo paralelo de cinco etapas durante a mielinização do seu sistema nervoso, que começou quando você ainda estava no útero da sua mãe e só terminou quando você tinha mais ou menos cinco anos de idade.

A primeira das cinco etapas começa no útero. Aqueles que passaram por problemas na fase da gestação terão o traço de caráter esquizoide mais forte na mente e no corpo, sendo assim, um corpo mais magro, com muita energia na cabeça e pouca energia (força) no corpo. Isso porque, devido às “percepções inconscientes” do bebê quanto ao estado fisiológico da mãe, se alteram quando ela passa por algum desconforto intenso ou um trauma na gestação. Sempre que o estado emocional dela se altera, o estado fisiológico também se altera, fazendo o corpo mandar menos sangue para o útero, deixando ele frio, duro e desconfortável para o bebê.

Nesses casos, o bebê, com suas “percepções inconscientes”, entende que precisa se proteger para sobreviver aquele ambiente desfavorável e procura não se movimentar o máximo possível, deixando de incomodar a sua mãe com a sua existência.

São pessoas que geralmente usam óculos, são extremamente racionais e lógicas, não gostam de contato e falam pouco. São muito criativas, mas pouco executoras. Tem uma coisa importante sobre esse traço, os esquizoides odeiam incomodar, por isso não são muito comunicativos e proativos. Quem tem esse traço de caráter muito alto não gosta de se expor e tem medo de ser rejeitado.

A segunda etapa da mielinização, que é a fase da amamentação, é denominada fase oral. Quem passou por essa fase “mamando de menos”, tem traço de caráter mais alto, o que vai dar para o corpo um formato mais arredondado e muitas vezes com aspectos infantis. São pessoas muito comunicativas, adoram contato com pessoas, não conseguem ficar sozinhas muito tempo, são pessoas extremamente sentimentais e sentem medo de serem abandonadas.

Existe também o outro lado da vivência nessa fase, quando a criança “mama demais”. Na verdade, não se trata da criança ter mamado a mais que o indicado ou orientado, mas mamado quando a sua necessidade não era essa. Por exemplo, a criança tem alguma necessidade que não consegue expressar, talvez nem mesmo entender ainda, como uma dor de barriga, incômodo com a roupa, calor, frio, etc., e a mãe, como também não consegue entender a sua real necessidade a oferece o peito. Aquela criança não teve sua necessidade atendida naquele momento e teve uma substituição de resolução com aquele alimento. No inconsciente fica claro que quando houver algum problema, poderá ser resolvido com “comida”.

Na terceira etapa, é formado o terceiro traço de caráter, chamado psicopata (não se trata da patologia psicopatia, é apenas um nome científico). Ele se forma quando a criança já tem controle da parte superior do corpo, mas ainda não controla bem as pernas porque a mielinização da medula ainda não desceu o suficiente.

Quem tem muito desse traço de caráter vai ter o corpo em forma de triângulo invertido, maior em cima e menor embaixo, até o rosto fica triangular (queixo mais pontudo). São pessoas extremamente articuladas. Gostam de negociar, liderar e criar planos, mas não são pessoas executoras, pois eles preferem que os outros façam. Mandam muito e realizam pouco. Uma característica muito importante para a mente desse tipo de pessoa é que são pessoas mais frias e que não mostram seus sentimentos. O maior medo dos psicopatas é se sentirem manipulados ou usados por outras pessoas.

Após a fase do psicopata, se forma o quarto traço de caráter na nossa mente e fica registrado no nosso sistema nervoso enquanto o nosso corpo se desenvolve: o traço de caráter do masoquista (também não é aquele que você já deve ter escutado como patologia). Ele se forma durante a fase do desfralde quando a criança ainda não tem o controle do esfíncter anal e se sente humilhada por fazer cocô nas calças e receber uma bronca e uma reprovação na frente de outras pessoas.

Pessoas com esse traço muito alto têm o formato do corpo mais quadrado, preparado para suportar peso e guardar coisas dentro de si. Elas têm o formato do bumbum bem amassado e trancado, em muitos casos trancado com tanta força que faz com que os pés se abram quando a pessoa fica parada. Tudo isso para evitar “fazer merda”, por isso são pessoas extremamente metódicas e atentas aos detalhes. São pessoas mais lentas, porém, muito fortes e constantes. Emocionalmente são pessoas sensíveis, mas que não demonstram, e acabam guardando tudo dentro de si. O maior medo de um masoquista é falhar e ser exposto, pois isso fará com que ele se sinta muito humilhado.

O último traço que se forma é o rígido, ele se desenvolve na fase em que a mielinização do sistema nervoso atinge o ponto final da coluna, dando para o aparelho reprodutor sensibilidades novas, que até aquele momento a criança não tinha. É nesse momento que a sexualidade surge na vida, na mente e no corpo humano, fazendo com que o menino se conecte mais com a sua mãe e a menina mais com o seu pai, formando o que Freud descreveu como o Triângulo de Édipo.

Pessoas com esse traço de caráter evidente desenvolvem corpo e mente extremamente competitivos, a menina perdeu o seu primeiro grande amor (seu pai) para a sua mãe e o menino perdeu para o seu pai, por isso o corpo e a mente ficaram tão competitivos. E como esse traço se forma na fase do surgimento da sexualidade, o corpo ganha formas e aspectos muito atraentes, que por sua vez fazem com que essas pessoas sejam muito exigentes.

Como esse traço se desenvolveu em uma relação triangular onde a criança tentava formar um par com quem já tinha (seu pai e sua mãe), na vida, na carreira e nos negócios pessoas assim se dividem sempre e têm muita dificuldade de focar em uma única coisa, o que no caso da transição de carreira atrapalha ainda mais. Quem tem o traço de caráter rígido muito alto vive com medo de ser traído, trocado ou excluído das relações.

E agora te convido a me responder: O QUE VOCÊ QUER QUE O SEU CORPO EXPLIQUE?

Quando você entende o porquê, descobre a raiz emocional por trás do problema, tudo fica mais leve e você começa a entender que pode escolher viver na dor ou no recurso.


LEIA MAIS COLUNAS:
Yoga: uma prática milenar que está “na moda”!
Ayurveda: uma forma alternativa de manter sua saúde física e mental em dia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here