Covid-19: vacina russa mostra resultados promissores

0
510

A vacina russa contra o novo coronavírus, chamada de “Sputnik-V”, produziu uma resposta de anticorpos em todos os participantes das fases 1 e 2, de acordo com os resultados publicados nesta sexta-feira (04) na revista científica The Lancet.

Os dois testes, conduzidos entre 18 de junho e 3 de agosto de 2020, envolveram 76 participantes e mostraram eficácia de 100%, sem nenhum efeito colateral grave. Segundo o estudo, o medicamento aplicado em duas doses apontou uma resposta imune até 1,5 vezes superior à registrada pela vacina desenvolvida pela AstraZeneca/Universidade de Oxford — que está sendo testada no Brasil.

As fases 1 e 2 de uma vacina buscam verificar a eficácia e a segurança delas, ainda com menos participantes que a fase 3. A última fase tem o objetivo de verificar a eficácia em larga escala. Nesta etapa, a Rússia pretende chamar 40 mil voluntários.

“Ensaios grandes e de longo prazo, incluindo uma comparação com placebo, e monitoramento adicional são necessários para estabelecer a segurança e eficácia a longo prazo da vacina para prevenir a infecção por Covid-19”, disse o estudo.

A vacina se chama Sputnik-V em homenagem ao primeiro satélite do mundo, lançado pela União Soviética. O imunizante enfrentou forte desconfiança da comunidade de saúde internacional, visto que não havia sido disponibilizada nenhuma informação.

A Rússia disse que espera produzir entre 1,5 milhão e 2 milhões de doses por mês de sua vacina potencial até o final do ano, aumentando gradualmente a produção para 6 milhões de doses por mês. O ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko, disse que começará a vacinação em massa a partir de novembro ou dezembro, com foco em grupos de alto risco.

A vacina russa é administrada em duas doses, cada uma baseada em um vetor diferente que normalmente causa o resfriado comum: os adenovírus humanos Ad5 e Ad26.

No estudo, metade dos participantes desenvolveu febres e 42% desenvolveram dores de cabeça. Além disso, cerca de 28% sentiram fraqueza e 24% dores nas articulações.


LEIA MAIS:
Governo do Paraná assina acordo com Rússia sobre vacina contra covid-19
Uso de corticoides reduz tempo de ventilação mecânica em pacientes graves com Covid-19
Falar alto traz mais riscos de transmissão da covid-19

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here