Rússia registrará segunda vacina contra covid-19 até 15 de outubro

A Rússia espera registrar uma segunda potencial vacina contra a Covid-19 até o dia 15 de outubro, disse a agência de notícias TASS citando o órgão regulador russo de segurança do consumidor Rospotrebnadzor, nesta terça-feira (22).

“O Ministério da Saúde da Federação Russa iniciou, de acordo com o decreto do Governo da Federação Russa de 03.04.2020 № 441, o procedimento para o registro da vacina EpiVacCorona. Está planejado para concluir o procedimento de registro para a vacina EpiVacCorona antes de 15 de outubro de 2020.”, disse o comunicado.

A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Vector, da Sibéria, que recebeu permissão para realizar as duas primeiras fases dos testes clínicos em 24 de julho e os iniciou em 27 de julho. O estágio inicial de testes em humanos foi concluído na semana passada.

Após o registro da vacina em outubro de 2020, serão iniciados os ensaios clínicos com a participação de voluntários com mais de 60 anos e portadores de doenças crônicas, além de ensaios clínicos pós-registro controlados por placebo envolvendo 5.000 voluntários adultos de diferentes grupos de idade.

O desenvolvimento da vacina é baseada em epítopos contra o novo coronavírus. Também conhecido como determinante antigênico, um epítopo é uma porção muito pequena de uma molécula que é reconhecida pelo sistema imunológico. Quando o sistema imunológico identifica uma ameaça, ele ativa a resposta imunológica a fim de prevenir o desenvolvimento e a disseminação da infecção.

Por meio de simulação em computador, os pesquisadores projetaram centenas de epítopos do SARS-CoV-2 e selecionaram os mais importantes: aqueles que provocam a resposta imunológica capaz de bloquear as funções vitais do vírus.

Os epítopos selecionados foram sintetizados quimicamente como moléculas de peptídeos, que, por sua vez, foram acopladas a uma macromolécula de proteína que serve como transportadora para esses peptídeos. Os epítopos são introduzidos com a vacina e o sistema imunológico introduz uma resposta defensiva.

A Rússia registrou sua primeira candidata a vacina — Sputnik V — desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, em agosto. Os testes em estágio avançado desta candidata com pelo menos 40 mil pessoas estão em andamento.


Foto: Assessoria de Imprensa Rospotrebnadzor/TASS


LEIA MAIS:
Governo zera Imposto de Importação de vacinas contra covid-19
Covid-19: vacina russa mostra resultados promissores
Governo do Paraná assina acordo com Rússia sobre vacina contra covid-19

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,193FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
55SeguidoresSeguir

Atualizações

Questionário pode prever risco de diabetes em pacientes saudáveis

Conduzida por pesquisadores do Hospital Israelita Albert Einstein pesquisa mostra que prevenção do tipo 2 da doença pode ser feita de forma simples e barata nos serviços de atenção primária à saúde.

Coronavac é a vacina mais segura contra Covid-19, mas eficácia será anunciada somente no final do ano

Dos 9 mil voluntários no Brasil, apenas 35% tiveram reações leves, como dor no local, e nenhum efeito colateral grave.

Estudo comprova presença do coronavírus no cérebro de pacientes

A pesquisa detectou ainda alterações morfológicas causadas pelo vírus.

7 fatos importantes sobre a mamografia

A detecção precoce desempenha um papel fundamental para o sucesso do tratamento do câncer, e por isso alguns exames devem fazer parte da rotina de saúde das mulheres. Confira 7 fatos sobre a mamografia, um dos principais exames de rastreamento.

Como a pandemia mudou a dieta do brasileiro

Aumento de consumo de alimentos processados e, ao mesmo tempo, de frutas e hortaliças, marca as alterações no cardápio nacional durante os últimos meses.