Johnson inicia teste final da vacina para Covid-19 em 60 mil pessoas

A Johnson & Johnson anunciou nesta quarta-feira (23) o início do ensaio final da potencial vacina a Covid-19, de injeção única, com 60 mil voluntários. Por ser de única dose, o imunizante potencialmente simplificaria a distribuição em comparação com as principais empresas que estão desenvolvendo outras vacinas que utilizam duas doses.

Os testes de fase 3 pretende incluir até 60 mil voluntários em 8 países, inclusive no Brasil, e aceitará participantes acima dos 60 anos e com doenças preexistentes. A idade mínima para participar é de 18 anos.

A empresa espera os resultados do ensaio de Fase III até o final do ano ou no início do ano que vem, disse o Dr. Paul Stoffels, diretor científico da J&J, em uma coletiva de imprensa. O objetivo do último ensaio é testar se a vacina pode prevenir a covid-19 moderada a grave após uma única dose, mas também vai verificar pode prevenir doenças graves que requerem intervenção médica e casos mais leves de vírus.

Não está claro com que rapidez a empresa poderia obter a aprovação regulatória, mas a J&J planeja fabricar as doses antes da aprovação, para que possa iniciar a distribuição rapidamente.

O estudo será supervisionado por um Conselho de Monitoramento de Dados e Segurança (DSMB) independente que revisará a segurança e eficácia da vacina. Na coletiva de imprensa, o Dr. Francis Collins, diretor do National Institutes of Health, disse que todas as três vacinas sendo organizadas e apoiadas pela Operação Warp Speed ​​do governo federal – J&J, Moderna e AstraZeneca – compartilham um DSMB comum. A Pfizer está executando seu próprio teste e tem um DSMB separado, disse Collins.

A potencial vacina é composta de um vetor recombinante, não replicante, de adenovírus tipo 26 (Ad26), construído para codificar a proteína S (Spike) do vírus Sars-CoV-2 (o novo coronavírus).


LEIA MAIS:
Governo zera Imposto de Importação de vacinas contra covid-19
Rússia registrará segunda vacina contra covid-19 até 15 de outubro
Doença que suspendeu testes da AstraZeneca pode não ter relação com a vacina, segundo Oxford

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,811FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações