Usando inteligência artificial para prever doenças cardiovasculares

Uma colaboração internacional de pesquisadores desenvolveu uma inteligência artificial capaz de prever o risco de pacientes desenvolverem doenças cardiovasculares através do uso de vasos sanguíneos da retina. Os resultados foram divulgados na revista científica Nature Biomedical Engineering.

O estudo descreve o desenvolvimento de modelos de aprendizagem de máquina para a medição automatizada do calibre dos vasos da retina em fotografias, usando diversos conjuntos de dados que abrangem mais de 70.000 imagens. Com as informações, o sistema aprende a reconhecer os sinais de doenças cardiovasculares nas pessoas.

Há muito tempo, médicos examinaram os olhos dos pacientes em busca de alterações na vasculatura retiniana – vasos sanguíneos na retina que podem refletir o impacto da pressão alta ao longo do tempo. Com o tempo, foram desenvolvidos instrumentos que permitiram aos oftalmologistas ter uma visão melhor das partes do olho mais suscetíveis a danos causados ​​pela hipertensão e os usaram como parte de um processo para diagnosticar pacientes com probabilidade de desenvolver a doença. No entanto, essas ferramentas ainda requerem um profissional médico para fazer a chamada final. 

Com esse novo recurso, os pesquisadores ensinaram um sistema de Inteligência Artificial (IA) a reconhecer os mesmos tipos de sintomas sem a necessidade de intervenção humana.

Os pesquisadores treinaram o sistema de IA para detectar marcadores de doenças cardiovasculares, estudando essa vasculatura retiniana, juntamente com dados que descrevem marcadores para um determinado paciente. Mas, para que a tecnologia seja capaz de fazer esse trabalho, ela deve primeiro aprender a reconhecer marcadores estudando milhares de imagens junto com dados destacando marcadores associados para cada paciente. Nesse caso, os pesquisadores treinaram o sistema em mais de 70.000 imagens de pessoas com origens diversas.

Para testar a precisão do sistema, os pesquisadores compararam os resultados de seu sistema de IA com diagnósticos dados por médicos que usaram métodos de teste tradicionais para diagnosticar o risco de doenças cardiovasculares, por exemplo, diabetes, obesidade, IMC, colesterol e níveis de hemoglobina glicada. Os pesquisadores afirmam que seu sistema superou os especialistas com base no rastreamento de pacientes após o teste.

Os pesquisadores sugerem que os sistemas de diagnóstico baseados em IA para prever o início da doença cardiovascular podem fornecer uma nova ferramenta para os médicos que procuram detectar a doença mais cedo nos pacientes, diminuindo assim os sintomas e, com sorte, reduzindo os resultados trágicos.


LEIA MAIS:
Realidade virtual aplicada à recuperação de pacientes de AVC
Ferramenta CRISPR pode ajudar a barrar infecção pelo novo coronavírus
Telemedicina no Brasil: como funciona a prática?

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações