Como a Covid-19 pode afetar a gestação?

0
313
Beautiful pregnant belly on a grey background

Pouco de sabe sobre o impacto do novo coronavírus na gestação. O clima de incertezas faz com que profissionais da saúde não tenham respostas certas sobre o comportamento do vírus nesses casos. Segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, as mulheres grávidas correm um risco maior de doenças graves devido à Covid-19 em comparação com mulheres não grávidas. Além disso, gestantes podem ter um risco aumentado de resultados adversos na gravidez, como parto prematuro.

Um caso recente aconteceu com a esposa do DJ Alok, Romana Novais, que deu à luz, em parto prematuro, ao segundo filho do casal. O nascimento, que estava previsto para o começo de janeiro, ocorreu de forma antecipada por conta de complicações da Covid-19 sofrida por Romana – o casal anunciou estar contaminado dois dias antes do nascimento.

“A Covid-19 pode ter impacto na saúde da mãe e do feto, principalmente quando a gestação está no último trimestre”, explica o ginecologista Eduardo Zlotnik, do Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo um estudo realizado por pesquisadores do Hospital Infantil da Filadelfia, nos Estados Unidos, gestantes contaminadas pelo SARS-Cov-2 tendem mais a serem internadas e intubadas em comparação a não-gestantes.

Em geral, segundo a Organização Mundial da Saúde, as mudanças no corpo e no sistema imunológico podem aumentar a gravidade de infecções respiratórias. Portanto, é importante que as gestantes tomem precauções para se protegerem contra COVID-19 e relatem possíveis sintomas (incluindo febre, tosse ou dificuldade em respirar) ao seu médico.

Como é o acompanhamento de grávidas com Covid-19?

Gestantes que foram infectadas pelo Sars-Cov-2 devem ter uma atenção maior por parte do médico, principalmente quando estão no terceiro trimestre de gravidez. Não há mudança no tempo em que a gestante fica de quarentena, que são de 10 a 14 dias”, explica Zlotnik.

Todo o pré-natal deve ser seguido normalmente e é necessário que médico e gestante fiquem atentos ao surgimento de sintomas leves ou mais graves. Caso o quadro da paciente no último trimestre se agrave e seja necessária a internação e, em casos mais graves a intubação, pode-se considerar a realização de um parto de emergência para evitar problemas como anomalias na frequência cardíaca fetal.

Na sala de parto

Em emergências médicas ou em partos no período certo, há cuidados extras em razão da pandemia. “No Einstein, se a mãe estiver positivada, ela é enviada a uma sala de isolamento. Em casos de parto normal, não há circulação da equipe por outras dependências. Em cesáreas, assim que acabar o parto os profissionais vão embora imediatamente”, conta o ginecologista Zlotinik.

Ainda na sala de parto, a mãe já entra em contato direto com o bebê. Fora as restrições normais, como possíveis problemas na saúde do recém-nascido, a nova mamãe já pode segurar seu filho. O pai também está autorizado a ficar dentro da sala de parto com a mãe.

Pós-parto

A mãe é encaminhada a um quarto com pressão negativa. Ela fica sob os cuidados de equipe já treinada para cuidar de casos de pacientes com coronavírus.

“No quarto, a mãe pode ficar com o pai da criança e o bebê, criando uma bolha. Após os dias necessários de isolamento e se estiver tudo bem com a saúde do recém-nascido, ela pode sair do hospital”, completa Eduardo Zlotnik.


Esteja segura durante a gestação!

Não há como garantir que existe risco zero de infecção, por isso é importante entender os riscos e saber como estar o mais seguro possível, principalmente durante a gestação. Segue as principais recomendações:

  • Lavar as mãos com frequência com sabão e água ou álcool em gel.
  • Manter espaço entre você e os outros e evitar espaços com muitas pessoas aglomeradas. Use uma máscara de tecido ou médica. Evite tocar nos olhos, nariz e boca.
  • Praticar higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel ao tossir ou espirrar. Em seguida, descarte o tecido usado imediatamente.
  • Evite atividades nas quais seja difícil tomar medidas de proteção e onde o distanciamento social não possa ser mantido.

Se apresentar febre, tosse ou dificuldade para respirar, procure atendimento médico. Ligue antes de ir a uma unidade de saúde e siga as instruções da autoridade de saúde local.


IMPORTANTE: as informações neste portal possuem caráter informativo e
NÃO substituem uma consulta médica.


LEIA MAIS:
As mães e a pandemia
Home office aumenta problemas físicos e mentais; mulheres e pais com crianças são os mais afetados
Plano de vacinação contra a Covid-19: 49,6 milhões de pessoas serão vacinadas nas três primeiras etapas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here