China implanta testes de swab por via anal para testes de Covid-19


A autoridades de saúde em Pequim, na China, começaram a utilizar testes por via anal para detectar a Covid-19 em pessoas do grupo de risco e viajantes que chegam do exterior. O país tem intensificado a triagem de detecção do novo coronavírus antes do feriado do Ano Novo Lunar, quando dezenas de milhões de pessoas geralmente viajam para casa de suas famílias.

As amostras dos testes geralmente são retiradas do nariz ou da garganta. O novo método envolve a inserção de um cotonete embebido em solução salina cerca de dois a três centímetros no ânus, com a amostra testada para traços ativos do vírus.

O vice-diretor encarregado de doenças infecciosas no Hospital You’an de Pequim, Li Tongzeng, disse ao Global Times que estudos mostraram que o coronavírus sobrevive mais no ânus ou excrementos do que aqueles retirados da parte superior do corpo. Ele afirmou que para alguns portadores silenciosos o vírus pode ser presentes na garganta por 3 a 5 dias, permitindo que alguns testes forneçam resultados falsos negativos. 

Durante uma entrevista à China Central Television, Li obsevou que utilizar o teste de cotonete anal pode aumentar a precisão em grupos-chave. Por isso, visto que o método não é tão conveniente quanto os swabs para garganta, ele só será aplicado a grupos de risco em centros de quarentena.

Mesmo assim, existem dúvidas sobre sua eficácia e há controvérsias entre os especialistas. Em entrevista ao Global Times, o vice-diretor do Departamento de Biologia de Patógenos da Universidade de Wuhan (China), Yang Zhanqiu, afirmou que uma vez que o vírus provou ser contraído pelo trato respiratório superior, e não pelo sistema digestivo, os testes mais eficientes ainda são os esfregaços nasais e da garganta.

Houve casos relativos ao teste de coronavírus positivo nos excrementos de um paciente, mas nenhuma evidência sugeriu que tenha sido transmitido através do sistema digestivo”, disse Yang.

A intensificação de testes iniciou quando Pequim relatou um caso assintomático de um menino de 9 anos que testou positivo para Covid-19. Em 20 de janeiro, uma coletiva de imprensa afirmou que todos os alunos, professores e funcionários da escola onde o caso foi localizado foram testados com esfregaços nasais, saliva e anal, bem como testes de soro — todos negativos.

Mais de 1.000 crianças em idade escolar e professores em Pequim receberam esfregaços anal, garganta e nariz na semana passada, junto com um teste de anticorpos separado. Na segunda-feira (25), passageiros de um voo de Changchun, capital da província de Jilin, para Pequim, tiveram que desembarcar depois que autoridades descobriram que uma pessoa de uma área considerada de alto risco para transmissão do vírus estava a bordo. De acordo com o Bloomberg, eles foram levados a um hotel onde trabalhadores da saúde coletaram amostras de nariz e anal.

A China já administrou cerca de 22,8 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, disse uma autoridade sanitária na quarta-feira (27). O governo, que já havia restringindo severamente os voos internacionais desde março de 2020, aumentou as restrições nos últimos meses. Além de aumentar os testes em massa depois que a variante B.1.1.7 do coronavírus apareceu no país.

O país pretende vacinar 50 milhões de pessoas antes do Ano Novo Lunar em fevereiro, informou a mídia estatal Global Times neste mês.


Foto: Navy Medicine


LEIA MAIS:
OMS alerta presença da variante de Manaus em oito países
Moderna diz que sua vacina funciona contra novas variantes do coronavírus
China libera 5,4 mil litros de insumos para produção de vacina, diz Bolsonaro

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações