Pfizer e BioNTech começam a testar vacina contra covid-19 em grávidas


A Pfizer e a BioNTech iniciaram a 2º fase de um estudo internacional com 4 mil voluntárias para avaliar a segurança, eficácia e tolerabilidade de sua vacina contra a covid-19 em mulheres grávidas saudáveis com 18 anos ou mais, anunciaram as empresas, na quinta-feira (18).

“As mulheres grávidas têm um risco aumentado de complicações e de desenvolver Covid-19 grave, por isso é fundamental que desenvolvamos uma vacina que seja segura e eficaz para essa população. Estamos profundamente gratos aos voluntários que estão se inscrevendo no estudo e aos investigadores do local que estão liderando este trabalho”, destacou o vice-presidente sênior de Pesquisa e Desenvolvimento Clínico de Vacinas da Pfizer, William Gruber.

O ensaio clínico foi desenhado como um estudo randomizado, ou seja, algumas mulheres receberão injeções com a vacina, enquanto outras receberão um placebo. Serão aproximadamente 4.000 mulheres grávidas saudáveis ​vacinadas durante 24 a 34 semanas de gestação. O estudo irá avaliar as duas doses de BNT162b2 ou placebo administradas com 21 dias de intervalo. 

Cada mulher participará do estudo por aproximadamente 7 a 10 meses. Elas não saberão que tipo de injeção receberam até depois do parto. A partir daí, as mulheres que receberam o placebo receberão então a vacina. A pesquisa avaliará a segurança em bebês e a transferência vertical de anticorpos potencialmente protetores. De acordo com o comunicado, os bebês serão acompanhados por aproximadamente seis meses de idade.

“Permitir um amplo acesso à nossa vacina contra Covid-19 altamente eficaz é um objetivo importante para nós. Agora que estamos vendo a implementação inicial bem-sucedida de campanhas de vacinas com BNT162b2 em todo o mundo, é hora de dar o próximo passo e estender nosso programa clínico a outras populações vulneráveis, como mulheres grávidas, para potencialmente protegê-las e às gerações futuras”. salientou o diretor médico da BioNTech, Özlem Türeci.

Além disso, as empresas Pfizer e a BioNTech esperam iniciar estudos adicionais em crianças com idades entre 5 e 11 nos próximos meses, e em crianças menores de 5 anos ainda em 2021. Segurança e eficácia em indivíduos de 12 a 15 anos de idade já estão sendo avaliadas em o estudo global de Fase 3 e os dados estão planejados para serem submetidos às autoridades regulatórias de saúde no segundo trimestre deste ano.


LEIA MAIS:
4 pontos para entender as novas mutações do Sars-Cov-2
Imunidade pós-vacina pode demorar semanas, dizem especialistas
Fiocruz aponta queda dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em 8 capitais

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações