Paciente morre após receber transplante de pulmões infectados por Covid-19


Médicos relatam o caso de uma mulher em Michigan, nos Estados Unidos (EUA), que morreu 61 dias depois de receber um transplante de pulmão duplo contaminado com o novo coronavírus. Foi o primeiro caso confirmado de um paciente contraindo o vírus de um doador de órgãos, de acordo com os autores do relatório, que foi publicado no The American Journal of Transplantation.

Os casos foram confirmados quando amostras de fluidos dos pulmões colhidas antes e depois da cirurgia foram testadas. A doadora não tinha histórico de exposição ou sintomas do novo coronavírus, além de apresentar um teste de swab nasal negativo. Contudo, os médicos mantiveram uma amostra do fluído coletado. Quando o testaram, deu positivo.

Os pulmões doados vieram de uma mulher que morreu após sofrer uma grave lesão cerebral em um acidente de carro. As amostras de nariz e garganta coletadas rotineiramente de doadores de órgãos e receptores deram resultados negativos para SARS-CoV-2, o vírus que causa o Covid-19.

A paciente que recebeu o transplante tinha doença pulmonar obstrutiva crônica, e contraiu o vírus quando recebeu o transplante no Hospital Universitário de Ann Arbor, nos EUA. Três dias após a operação, ela começou a apresentar sintomas da doença, incluindo febre e problemas respiratórios. Mesmo com os médicos realizando tratamento com remdesivir e plasma sanguíneo, ela teve uma piora gradativa e não resistiu. 

O cirurgião que tratou dos pulmões da paciente também foi infectado com o vírus, mas se recuperou. O mapeamento genético do vírus revelou que o receptor do transplante e o cirurgião foram infectados pelo doador. Dez outros membros da equipe médica testaram negativo.

Por mais raro que o caso seja, os médicos e autoridades acreditam que medidas sanitárias mais rigorosas podem ser tomadas para garantir a segurança dos receptores de órgãos e de seus médicos durante o procedimento, especialmente quando pulmões estão sendo transplantados.

“Nós absolutamente não teríamos usado os pulmões se tivéssemos um teste COVID positivo”, disse o Dr. Daniel Kaul, diretor do serviço de doenças infecciosas de transplantes da Michigan Medicine e coautor do estudo de caso, à Kaiser Health News.


LEIA MAIS:
Pelo menos 20,5 milhões de anos de vida foram perdidos para a Covid-19
Anvisa aprova registro definitivo da vacina da Pfizer contra Covid-19
Vacina reduz o risco de hospitalização por Covid-19, sugere estudo escocês

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

O que a cafeína pode fazer por você

Atualmente, testes genéticos dão um mapa completo de como seu metabolismo trabalha e como você pode ter o máximo de aproveitamento no consumo de alimentos e bebidas, como o café. Assim, diminui efeitos indesejados no corpo, através da construção de um plano alimentar totalmente personalizado.

Redes Sociais

3,792FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações