Pfizer e BioNTech afirmam que a vacina pode prevenir a infecção assintomática da Covid-19

A Pfizer e BioNTech anunciaram dados do plano de vacinação de Israel que sugerem que sua vacina contra a Covid-19 é 94% eficaz na prevenção de infecções assintomáticas. O resultado significa que o imunizante pode reduzir significativamente a transmissão. Os resultados mostram que duas semanas após a segunda dose da vacina a proteção é ainda mais forte.

As empresas também disseram que a última análise dos dados israelenses mostra que a vacina também foi 97% eficaz na prevenção de doenças sintomáticas, doenças graves e morte. De acordo com nota divulgada, os novos dados baseiam-se e confirmam dados divulgados pelo Ministério da Saúde de Israel. Os resultados “demonstram a eficácia da vacina na prevenção de infecções sintomáticas por SARS-CoV-2, casos de Covid-19, hospitalizações, hospitalizações graves e críticas e mortes”.

Os resultados da análise foram derivados de dados do Ministério da Saúde de Israel coletados entre 17 de janeiro e 6 de março de 2021, quando a vacina Pfizer-BioNTech era a única vacina disponível no país e quando a variante B.1.1 .7 era a cepa dominante.

As evidências mostram que a eficácia da vacina contra a variante B.1.1.7, altamente infecciosa descoberta pela primeira vez na Grã-Bretanha, foi de 80% das amostras testadas. Houve apenas um número limitado de infecções em Israel causadas pela variante sul-africana – conhecida como B.1.351 – Por isso, eles não foram capazes de avaliar a eficácia da vacina contra esta variante.

Israel está liderando o mundo na implementação de vacinação, em parte devido a um acordo para compartilhar dados com a Pfizer e a BioNTech. Até a quarta-feira (10), cerca de 55% de sua população de 9 milhões havia recebido pelo menos uma dose da vacina. De acordo com dados do Ministério da Saúde, 43% da população já receberam as duas doses.

Em janeiro, a Pfizer e o Ministério da Saúde de Israel firmaram um acordo de colaboração para monitorar o impacto da vacina. Os resultados detalhados desta colaboração também serão submetidos para revisão por pares.

A vacina desenvolvida pelas empresas Pfizer-BioNTech é baseada na tecnologia de mRNA. O imunizante já recebeu uma autorização condicional de comercialização, autorização de uso de emergência ou autorização temporária em um total de mais de 60 países.


LEIA MAIS:
Covid-19: variante B.1.1.7 está associada a uma taxa maior de mortalidade
Pfizer vai entregar 14 milhões de doses de vacina contra Covid-19 até junho
Anvisa regulamenta importação de vacinas sem registro no Brasil

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Doutor, você errou: breves dilemas e diretrizes sobre a caracterização do erro médico.

O erro aflige não somente o paciente que sofreu a intervenção médica ou o tratamento incorreto, mas também o médico envolvido, que terá de arcar com sérias consequências jurídico-disciplinares em função do equívoco.

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações