Brasil tem 562 milhões de doses de vacina contra Covid-19 contratadas em 2021

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, realizou nesta segunda-feira (15) uma coletiva de imprensa para apresentar o balanço das ações do Ministério da Saúde no combate à pandemia de covid-19. Ele confirmou a contratação completa das vacinas Sputinik, Pfizer/BioNTech e Janssen.

De acordo com o ministro, o governo federal viabilizou a compra de vacinas de 10 fornecedores diferentes. Segundo os dados apresentados, o país contará com 562 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até o final de 2021. Pazuello frisou, no entanto, que há chances de que nem todos os laboratórios cumpram os prazos estabelecidos de entregas.

Confira abaixo o esquema de contratação de vacinas:

Ainda de acordo com o ministro, o Brasil já está em processo avançado na produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) nacionalmente. Com o insumo produzido em território nacional, o país começa a ter independência na fabricação de vacinas.

O ministro ainda destacou que a pandemia em 2020 agiu de maneira regional, seguindo as oscilações climáticas de cada região do país. No entanto, este ano o comportamento mudou. “O ciclo da pandemia em 2021 está diferente, o vírus acumulou mutações, se tornando mais contagioso e, consequentemente, tem causado maior número de óbitos e também maior número de leitos, e com isso exigindo mais recurso de todas as ordens”, afirmou.

O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 20,1 milhões de doses da vacina contra a Convid-19 para os estados, sendo 16,1 milhões da vacina Coronovac (Instituto Butantan) e 4 milhões do imunizante da AztraZeneca/Oxford, importadas da Índia.

Já foram destinadas doses para imunizar 11,5 milhões de pessoas dos grupos prioritários, como pessoas acima de 60 anos ou mais institucionalizadas, pessoas acima de 18 anos com deficiência institucionalizadas, pessoas idosas de 75 anos ou mais, além dos povos indígenas e profissionais da saúde.

Saída de Pazuello do Ministério da Saúde

As informações sobre os acordos das vacinas contra Covid-19 ocorre um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro iniciar reuniões com possíveis candidatos para substituir Pazuello no Ministério da Saúde. Caso a troca se confirme nos próximos dias, o país terá seu quarto ministro em pouco mais de 12 meses de pandemia.

Durante a coletiva, o ministro fez um balanço das suas ações à frente da pasta e admitiu que o presidente Jair Bolsonaro está em “tratativas” para reorganizar o Ministério da Saúde.

“Enquanto isso não for definido, a vida segue normal. Eu não estou doente, eu não pedi ara sair e nenhum de nós do nosso executivo está com problema algum. Nós estamos trabalhando focados na missão. Quando o presidente tomar sua decisão, faremos uma transição correta como manda o figurino”, destaca Eduardo Pazuello.


Foto: Governo do Estado de São Paulo


LEIA MAIS:
Butantan envia mais 3,3 milhões de doses de vacina ao Ministério da Saúde
O que é esta tal de “Anvisa” e qual o seu papel na aprovação das vacinas contra o coronavírus?
Ministério da Saúde anuncia compra de 10 milhões da vacina Sputnik V

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Governo federal decide comprar vacinas da Pfizer e da Janssen contra Covid-19

A vacina da Pfizer é a única com registro definitivo aprovado pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas ainda não havia sido comprada pelo governo federal. Já a vacina da Janssen ainda não tem autorização para uso dada pela agência.

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações