Fiocruz entrega as primeiras doses produzidas nacionalmente da vacina contra a Covid-19

0
269

A Fiocruz entregou, nesta quarta-feira (17), as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 produzidas pela instituição. Hoje foram disponibilizadas 500 mil doses e, na sexta-feira (19), outras 580 mil doses serão entregues. No total, serão 1 milhão e 80 mil vacinas disponibilizadas pela Fundação ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Com o registro definitivo, concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 13 de março, a Fiocruz passou a ser a detentora do primeiro registro de uma vacina Covid-19 produzida no país.

“Vacina é um dos principais instrumentos para que consigamos superar essa grave pandemia, essa grave crise sanitária, econômica, social e humanitária, com a perda de vidas lembradas aqui hoje. Mas é sempre muito importante dizer que esta é a principal missão neste momento, salvar vidas, e por isso a importância das doses de vacinas que entregamos hoje”, destacou a presidente da Fundação, Nísia Trindade Lima, na cerimônia realizada.

Serão entregues um total de 3,8 milhões de doses da vacinas. Na última sexta-feira (12), uma segunda linha de produção entrou em operação, o que vai permitir o aumento da capacidade produtiva de Bio-Manguinhos/Fiocruz. A expectativa é chegar até o final do mês com uma produção de cerca de 1 milhão de doses por dia.

Para o mês de março, o cronograma enviado ao Ministério da Saúde pelos laboratórios, sujeito a alterações de acordo com a produção das vacinas, prevê a entrega de um total de 30 milhões de doses: 23,3 milhões do Instituto Butantan; 3,8 milhões da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida na Fiocruz; e mais 2,9 milhões de doses dos mesmos imunizantes adquiridos via consórcio Covax Facility.

Desde o dia 18 de janeiro, quando começou a campanha de vacinação contra a covid-19 no Brasil, já foram enviadas aos estados e DF mais de 24,5 milhões de doses de imunizantes – até o momento, mais de 11,8 milhões já foram aplicadas em grupos prioritários. 

A vacina produzida pela Fiocruz foi desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca. Ela necessita de duas doses, em um intervalo de oito a 12 semanas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o uso do imunizante inclusive para as novas variantes que vêm circulando no Brasil e em outros países, como a África do Sul. A vacina previne os casos graves e as hospitalizações por covid-19. De acordo com os estudos publicados sobre a vacina Oxford-AstraZeneca, sua eficácia geral é de 82%.


Foto: reprodução Fiocruz


LEIA MAIS:
Brasil bate recorde com 2.841 mortes por Covid-19 em 24 horas
Brasil tem 562 milhões de doses de vacina contra Covid-19 contratadas em 2021
França detecta nova variante do coronavírus que escapa do teste PCR

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here