Fiocruz entrega as primeiras doses produzidas nacionalmente da vacina contra a Covid-19


A Fiocruz entregou, nesta quarta-feira (17), as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 produzidas pela instituição. Hoje foram disponibilizadas 500 mil doses e, na sexta-feira (19), outras 580 mil doses serão entregues. No total, serão 1 milhão e 80 mil vacinas disponibilizadas pela Fundação ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Com o registro definitivo, concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 13 de março, a Fiocruz passou a ser a detentora do primeiro registro de uma vacina Covid-19 produzida no país.

“Vacina é um dos principais instrumentos para que consigamos superar essa grave pandemia, essa grave crise sanitária, econômica, social e humanitária, com a perda de vidas lembradas aqui hoje. Mas é sempre muito importante dizer que esta é a principal missão neste momento, salvar vidas, e por isso a importância das doses de vacinas que entregamos hoje”, destacou a presidente da Fundação, Nísia Trindade Lima, na cerimônia realizada.

Serão entregues um total de 3,8 milhões de doses da vacinas. Na última sexta-feira (12), uma segunda linha de produção entrou em operação, o que vai permitir o aumento da capacidade produtiva de Bio-Manguinhos/Fiocruz. A expectativa é chegar até o final do mês com uma produção de cerca de 1 milhão de doses por dia.

Para o mês de março, o cronograma enviado ao Ministério da Saúde pelos laboratórios, sujeito a alterações de acordo com a produção das vacinas, prevê a entrega de um total de 30 milhões de doses: 23,3 milhões do Instituto Butantan; 3,8 milhões da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida na Fiocruz; e mais 2,9 milhões de doses dos mesmos imunizantes adquiridos via consórcio Covax Facility.

Desde o dia 18 de janeiro, quando começou a campanha de vacinação contra a covid-19 no Brasil, já foram enviadas aos estados e DF mais de 24,5 milhões de doses de imunizantes – até o momento, mais de 11,8 milhões já foram aplicadas em grupos prioritários. 

A vacina produzida pela Fiocruz foi desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca. Ela necessita de duas doses, em um intervalo de oito a 12 semanas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o uso do imunizante inclusive para as novas variantes que vêm circulando no Brasil e em outros países, como a África do Sul. A vacina previne os casos graves e as hospitalizações por covid-19. De acordo com os estudos publicados sobre a vacina Oxford-AstraZeneca, sua eficácia geral é de 82%.


Foto: reprodução Fiocruz


LEIA MAIS:
Brasil bate recorde com 2.841 mortes por Covid-19 em 24 horas
Brasil tem 562 milhões de doses de vacina contra Covid-19 contratadas em 2021
França detecta nova variante do coronavírus que escapa do teste PCR

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações