Vacina Oxford/AstraZeneca é 79% eficaz contra casos sintomáticos da Covid-19


Um estudo de Fase III da vacina Oxford-AstraZeneca contra o novo coronavírus mostrou que a vacina é segura e 79 % eficaz contra casos de Covid-19 sintomáticos e 100% eficaz contra casos graves e contra aqueles que exigem hospitalização dos pacientes. O imunizante também foi 80% eficaz na prevenção da doença em participantes com 65 anos de idade ou mais.

A análise de segurança e eficácia da vacina, publicada nesta segunda-feira (22), foi baseada no ensaio com 32.449 participantes nos Estados Unidos, Peru e Chile. Os voluntários receberam duas doses padrão do imunizante ou de placebo, em um intervalo de quatro semanas.

Entre os participantes, aproximadamente 79% eram brancos, 8% afro-americanos, 4% nativos americanos e 4% asiáticos e 22% eram hispânicos. Cerca de 20% dos participantes tinham 65 anos ou mais e aproximadamente 60% tinham comorbidades associadas a um risco aumentado de progressão de Covid-19 grave, como diabetes, obesidade grave ou doença cardíaca.

Os resultados foram divulgados após vários países suspenderam temporariamente o uso da vacina em razão dos relatos de coágulos sanguíneos em algumas pessoas vacinadas. Alemanha, França, Itália e Espanha foram uns dos países que já retomaram o uso do imunizante após o regulador de medicamentos da Europa afirmar que sua investigação inicial de possíveis efeitos colaterais concluiu que a vacina é segura e eficaz. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia recomendaram que os países continuem a usar a vacina Oxford-AstraZeneca.

O novo estudo mostra que a vacina foi bem tolerada e não identificou problemas de segurança relacionadas ao tiro, disse a empresa. Um comitê independente “não encontrou risco aumentado de trombose ou eventos caracterizados por trombose entre os 21.583 participantes que receberam pelo menos uma dose da vacina”, de acordo com a AstraZeneca.

O professor e investigador principal do estudo da vacina da Universidade de Oxford, Andrew Pollard, relata no site da universidade“Esses resultados são ótimas notícias, pois mostram a notável eficácia da vacina em uma nova população e são consistentes com os resultados dos testes conduzidos por Oxford . W e pode esperar forte impacto contra COVID-19 em todas as idades e para pessoas de todas as origens diferentes de uso generalizado da vacina.”.

A professora de medicina da University of Rochester School of Medicine e co-principal investigadora do estudo, disse em comunicado da farmacêutica: “Essas descobertas confirmam resultados anteriores observados em estudos com AZD1222 em todas as populações adultas, mas é empolgante ver resultados de eficácia semelhantes em pessoas com mais de 65 anos pela primeira vez. Esta análise valida a vacina AstraZeneca COVID-19 como uma opção de vacinação adicional muito necessária, oferecendo a confiança de que adultos de todas as idades podem se beneficiar da proteção contra o vírus.”

A AstraZeneca deve enviar os dados para análise pela comunidade científica e solicitar autorização para uso emergencial para o órgão regulador americano Food and Drugs Administration (FDA). No Brasil, a vacina teve o registro definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 12 de março, mas já está sendo aplicada desde janeiro de 2021.

A vacina pode ser armazenada, transportada e manuseada em condições normais de refrigeração (2-8 graus Celsius ou 36-46 graus Fahrenheit) por pelo menos seis meses.


Foto: Steven Cornfield


LEIA MAIS:
O que é esta tal de “Anvisa” e qual o seu papel na aprovação das vacinas contra o coronavírus?
França detecta nova variante do coronavírus que escapa do teste PCR
Anticorpos produzidos na infecção pela variante sul-africana podem ser a chave para vacinas contra Covid-19

Infohealth
Primeiro site de notícias de saúde do Brasil.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações