Dia do Beijo: beije, mas com cuidado

0
243
Indoor portrait of funny african man posing with kissing face expression. Close-up photo of carefree brunette boy fooling around on purple background.

Existem vários tipos de beijo, como o beijo apaixonado, beijo tímido, beijo com saudade, beijo de despedida, beijo roubado, beijo de cinema, beijo erótico, enfim, são tantos beijos que ficamos sem fôlego! 

O beijo é um ato que pode nos proporcionar sensações de euforia e paixão, uma vez que ao beijar, liberamos em nosso organismo os hormônios dopamina, serotonina, epinefrina e ocitocina –  hormônios conhecidos como do prazer e do bem-estar. Porém, você sabia que a boca pode ser um meio transmissor de doenças?

Isso mesmo! Um simples beijo pode trazer uma série de riscos à saúde. Em geral, as doenças transmitidas através do beijo são infecções por vírus, bactérias e fungos transmitidos através da saliva ou gotículas de saliva. De acordo com um estudo publicado no jornal científico National Library of Medicine, um simples beijo íntimo de 10 segundos corresponde a uma troca de 80 milhões de bactérias. As principais doenças transmitidas entre as trocas de salivas são: mononucleose (doença do beijo), gripe ou resfriado, herpes labial, candidíase oral e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

A seguir, saiba quais são os sintomas das principais doenças que podem ser transmitidas pela troca de beijos.

Mononucleose infecciosa (doença do beijo)

A mononucleose, popularmente conhecida por “doença do beijo” e comum entre os adolescentes, é uma doença causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB), da família do vírus herpes. A doença pode ser assintomática ou caracterizada por sintomas semelhantes ao da gripe, como dor de garganta, tosse, febre, mal-estar, fadiga, dor de cabeça, calafrios e inchaço dos gânglios linfáticos. 

A mononucleose acomete principalmente jovens entre 15 e 25 anos. A transmissão do vírus pode ocorrer no período de incubação, que dura de 30 a 45 dias, e o vírus pode permanecer ativo por até dois meses, ou, em alguns casos, o vírus pode permanecer no organismo para sempre, ainda podendo ser transmitido. Não há um medicamento específico para o tratamento da doença, e a recuperação consiste na administração de medicamentos que controlam apenas os sintomas. 

Herpes labial

A herpes labial é uma infecção que não tem cura, provocada pelo vírus Herpes simplex. A infecção é contagiosa e transmitida por meio de contato direto. A doença se manifesta através de feridas ou pequenas bolhas na boca, que duram cerca de 7 a 10 dias. Ao apresentar os sintomas, é importante evitar dar beijos e ter cautela ao utilizar talheres, copos e toalhas que entrem em contato com as bolhas e feridas, podendo contaminar outras pessoas.

O tratamento da herpes labial pode ser realizado através da aplicação de pomadas antivirais ou curativos líquidos, que aliviam os sintomas, diminuindo a dor, o desconforto, o risco de contaminação e auxiliam na cicatrização rápida. Em casos mais graves, o médico pode prescrever o uso de comprimidos antivirais.

Gripe e resfriado (incluindo a Covid-19)

A gripe é uma infecção viral causada pelo vírus influenza. A doença pode causar sintomas, como: febre que pode chegar a 40ºC, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios, desidratação, coriza, dor de garganta e tosse com ou sem secreção. Os sintomas tendem a durar por uma semana. 

O resfriado é provocado pelo vírus rhinovírus e outros semelhantes, e apresenta sintomas mais leves que os da síndrome gripal. As manifestações mais comuns dos resfriados são: coriza, espirros, congestão nasal, dor de cabeça, febre baixa e tosse seca.

A maioria das pessoas, em ambos os casos, podem se curar por conta própria. No entanto, há medicamentos que podem ser administrados para aliviar os sintomas da dor, tosse ou febre, por exemplo.

Fique atento: o beijo pode aumentar os riscos de contaminação por Covid-19, doença altamente contagiosa causada pelo SARS-Cov-2.

Candidíase oral

A candidíase oral é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans na boca. É mais comum em bebês, mas pessoas adultas com o sistema imunológico enfraquecido podem ser acometidas pela doença. A candidíase causa lesões brancas na língua ou na parte interna das bochechas, podendo haver a presença de dor ao engolir. 

O tratamento pode ser realizado com enxaguantes bucais, antifúngicos e correta higiene oral, devendo ser prescrito por um médico clínico geral, dentista ou pediatra, no caso das crianças.

Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs)

Sífilis

A sífilis é uma IST causada pela bactéria Treponema pallidum. A doença, que se desenvolve por estágios, pode ser transmitida através da saliva por pessoas que possuem pequenas lesões na boca. A primeira fase da doença se manifesta por feridas indolores que acometem a boca, genitália e reto, que se não forem tratadas, podem evoluir para uma doença crônica. Na segunda fase, surgem erupções cutâneas. A  fase final pode causar problemas graves, como danos no cérebro, nervos, olhos ou coração.

O tratamento da sífilis é realizado através da administração de um antibiótico (penicilina) prescrito por um médico, que vai impedir a progressão da doença. Quando há um parceiro sexual, ambos devem realizar o tratamento.

HPV

O papilomavírus humano, mais conhecido por HPV, é uma das ISTs mais comuns. É normal que pessoas com HPV não apresentem nenhum tipo de sintoma, no entanto, ainda podem infectar outras pessoas por meio do contato sexual desprotegido. Os sintomas mais comuns da infecção podem incluir  lesões em qualquer local da cavidade oral, verrugas nos órgãos genitais ou na pele. O vírus não tem cura, mas há tratamento para eliminar as verrugas.

A transmissão do HPV para a boca ocorre através do sexo oral desprotegido e através do beijo, sobretudo quando houver alguma lesão na boca que facilite a entrada do vírus.

O HPV, se não tratado adequadamente, pode evoluir e aumentar o risco de câncer na boca, cervical, pescoço ou faringe. 

Afinal, beijar é ruim? 

Não! Beijar é bom, e é um ato que traz inúmeros benefícios para a saúde. Trocar beijos pode diminuir a ansiedade, causar sensação de felicidade e prazer, melhorando o bom humor. Somente tenha cautela na hora de beijar para não correr o risco de ser contaminado por alguma doença. 


Foto: Freepik.com


LEIA MAIS
Mononucleose: a doença do beijo e os cuidados no Carnaval

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here