OMS define novos parâmetros para reduzir a ingestão de sal


A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um novo conjunto de referenciais globais para os níveis de sódio para diferentes categorias de alimentos. O objetivo é ajudar os países a reduzir o teor de sódio nos alimentos para ter uma melhor alimentação e reduzir a mortalidade por doenças relacionadas ao consumo excessivo de sódio.

Com base nos hábitos alimentares locais, as referências globais da OMS indicarão aos países como podem reduzir progressivamente suas metas, além de incentivar a indústria a diminuir o teor de sódio em alimentos processados. A meta da OMS é reduzir em 30% a ingestão global de sódio até 2025.

O guia WHO Global Sodium Benchmarks for Different Food Categories direciona para países e indústrias a redução de mais de 60 categorias de alimentos. Segundo a OMS, em todo o mundo, o consumo de alimentos processados é uma fonte de sódio em rápido crescimento. O relatório reuniu dados coletados a partir de metas estabelecidas em 41 países.

O guia indica que 11 milhões de mortes globais estão associadas a uma dieta pobre, sendo que 3 milhões são atribuíveis à alta ingestão de sódio. A OMS recomenda o consumo de menos de 5 gramas de sal por dia, no entanto, a maioria dos indivíduos consomem o dobro. Esse excesso de consumo de sódio aumenta a pressão arterial e, consequentemente, o risco de doenças cardiovasculares. As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes por doenças não transmissíveis em todo o mundo, responsável por 32% de todas as mortes.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que grande parte das pessoas desconhecem a quantidade de sódio que consomem ou os riscos que isso apresenta. “Precisamos que os países estabeleçam políticas para reduzir a ingestão de sal e forneçam às pessoas as informações de que precisam para fazer as escolhas alimentares certas. Também precisamos que a indústria de alimentos e bebidas reduza os níveis de sódio nos alimentos processados. As novas referências da OMS oferecem aos países e à indústria um ponto de partida para revisar e estabelecer políticas para transformar o ambiente alimentar e salvar vidas”.

As referências globais de sódio abrangem uma gama de categorias de produtos alimentícios processados e embutidos que contribuem significativamente para dietas excessivamente salgadas. Entre as categorias de alimentos industrializados com alto teor de sódio identificadas para as novas referências estão: pães processados e embalados, salgadinhos, carnes processadas e queijos

Segundo o relatório, uma das estratégias eficazes para reduzir a ingestão de sódio da população é por meio da redução do teor de sódio dos alimentos que são consumidos frequentemente, principalmente em regiões onde o consumo de alimentos industrializados é alto, além de impedir que esses alimentos se tornem uma fonte importante de sódio em países no qual o consumo pode estar aumentando rapidamente.

De acordo com a OMS, as novas referências são lançadas durante um ano decisivo para a política alimentar e nutricional. A Cúpula dos Sistemas Alimentares das Nações Unidas, em setembro, e a Cúpula de Nutrição para o Crescimento, em dezembro, reunirão partes interessadas com o objetivo de melhorar os sistemas alimentares.


Foto: Freepik.com


Bruna Faraco
Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), radialista e fotógrafa.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

França detecta nova variante do coronavírus que escapa do teste PCR

A Organização Mundial de Saúde (OMS) colocou esta nova mutação na categoria de "variante sob investigação" (VUI, sigla em inglês), devido à observação de vários pacientes apresentando sintomas típicos da infecção por SARS-CoV-2, mas com resultado do teste RT-PCR negativo.

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações