Dia Mundial da Fibromialgia: doença afeta 2,5% da população mundial


A fibromialgia (FM) é uma condição crônica caracterizada por dor generalizada. A doença pode acometer qualquer pessoa, mas afeta principalmente as mulheres, geralmente entre os 30 e 50 anos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Radiologia (SBR), a fibromialgia é uma doença muito comum, que afeta 2,5% da população mundial. A sociedade aponta que as causas para a doença ainda não são totalmente esclarecidas, mas a principal hipótese é que pacientes com FM apresentam uma alteração da percepção da sensação de dor. 

Além do mais, há fatores que podem aumentar os riscos de desenvolvimento da fibromialgia, como a tensão e o estresse, histórico familiar da doença, lúpus, artrite reumatoide e sofrer traumas em determinada parte do corpo repetidas vezes.

Sintomas da Fibromialgia

A dor da FM apresenta-se de forma difusa e intensa por todo corpo, mas não causa inflamações nem deformidades físicas. Geralmente, o portador da doença não consegue identificar quando e em qual local do corpo a dor começou. A dor tende a aumentar ao final do dia, podendo surgir também pela manhã.  

A dor generalizada pode vir acompanhada de outros sintomas, como:

  • Aumento da sensibilidade do corpo;
  • Fadiga;
  • Alterações do sono e da memória;
  • Rigidez muscular;
  • Dor de cabeça;
  • Sensibilidade ao urinar;
  • Dor abdominal e mudança no ritmo intestinal;
  • Distúrbios emocionais e psicológicos.

O paciente também pode ter sensações de formigamento nas mãos e nos pés e maior sensibilidade a estímulos ambientais, como cheiros e barulhos fortes. De acordo com a SBR, acredita-se que a principal causa de dor difusa em pessoas acometidas pela doença seja uma maior sensibilidade à dor, por uma ativação do sistema nervoso central.

Diagnóstico

O diagnóstico para a fibromialgia muitas vezes pode ser demorado, uma vez que a doença pode ser confundida com outras patologias reumáticas. A detecção da doença normalmente é feita por um reumatologista, que analisa principalmente os sintomas e o histórico clínico do paciente. 

Exames de imagem e laboratoriais são solicitados para eliminar suspeitas de outras patologias que possam apresentar sintomas semelhantes, tendo em vista que a FM não é detectável por estes. Na maioria dos casos, os exames solicitados pelo médico são de sangue e raio-X.

Tratamento

A FM não tem cura e o tratamento consiste em melhorar a qualidade de vida do paciente. Segundo a SBR, o principal método para tratar a fibromialgia são os cuidados do paciente consigo mesmo. O exercício aeróbico é fundamental para o tratamento da doença, sobretudo o que mexe o corpo por inteiro e acelera os batimentos cardíacos.

O reumatologista ainda pode indicar analgésicos, relaxantes musculares e antidepressivos para auxiliar no controle da dor. Além do uso de medicamentos, outras medidas para diminuir e controlar os sintomas podem ser recomendadas, como massagens, acupuntura, fisioterapia e psicoterapia.

É importante que a pessoa portadora da doença evite situações que possam provocar o aumento da dor. Algumas recomendações podem ser empregadas no dia a dia, como: evitar carregar pesos; preservar-se de situações de estresse; priorizar ambientes calmos, com pouca luz e barulho para ter uma boa noite de sono; e manter uma rotina de exercícios físicos.


Foto: Karolina Grabowska/Pexels


LEIA MAIS:
Lúpus: doença de difícil diagnóstico e que requer muitos cuidados
Alergia: conheça os diferentes tipos
Estudo indica que mulheres sentem menos prazer no exercício físico durante período pré-menstrual

Bruna Faraco
Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), radialista e fotógrafa.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações