China registra primeiro caso em humano de gripe aviária H10N3; saiba quais são os sintomas e transmissão da doença

0
157
Brown chickens, hens in farm.

A Comissão Nacional de Saúde da China (NHC, na sigla em inglês) informou nesta terça-feira, 1º, que um homem de 41 anos foi confirmado como o primeiro caso de infecção com a cepa H10N3 da gripe aviária, na província de Jiangsu.

O paciente foi hospitalizado dia 28 de abril após apresentar febre e outros sintomas. No entanto, ele foi diagnosticado com o vírus da gripe aviária no dia 28 de maio, mas não foi informado sobre como o homem foi infectado. O quadro de saúde dele é estável, devendo receber alta do hospital em breve.  Segundo a Reuters, a observação médica de seus contatos próximos não encontrou nenhum outro caso.

Segundo a  Comissão Nacional de Saúde chinesa, a H10N3 é uma cepa do vírus de baixa patogenicidade, ou relativamente menos grave, em aves domésticas e o risco de se espalhar em grande escala é muito baixo.

De acordo com Filip Claes, coordenador do laboratório regional do Centro de Emergência para Doenças Transfronteiriças de Animais da Organização para Alimentos e Agricultura (FAO) do Escritório Regional para a Ásia e o Pacífico, essa cepa “não é um vírus muito comum”. Claes disse à Reuters que cerca de 160 casos do vírus foram identificados nos últimos 40 anos, principalmente em aves selvagens ou aquáticas na Ásia e em algumas partes da América do Norte, e nenhum foi detectado em galinhas até agora.

Ele informou que será necessário analisar dados genéticos do vírus para afirmar se ele se assemelha aos vírus mais antigos ou se é de uma nova mistura de vírus diferentes, uma vez que existem muitas cepas diferentes de gripe aviária na China e algumas infectam pessoas de forma pontual, sobretudo as que trabalham diretamente com aves.

A comissão chinesa informou que não houve um número significativo de infecções em pessoas com a gripe aviária desde a cepa H7N9, que matou cerca de 300 pessoas durante 2016 e 2017. Nenhum outro caso de infecção humana com H10N3 foi relatado anteriormente em todo o mundo.

O que é gripe aviária

A gripe aviária é uma infecção que acomete as aves causada pelo vírus influenza A, das quais as cepas são classificadas como de baixa ou alta patogenicidade, isto é, conforme a capacidade de causarem infecções leves ou graves nos animais, podendo ser letal e resultar em grandes epidemias entre as aves. Todos os tipos de aves são passíveis à infecção da gripe aviária, ainda que algumas espécies apresentem resistência comparadas a outras. 

Infecção em humanos

A doença ocorre principalmente entre as aves, sendo altamente contagiosa entre elas. Em pessoas, é pouco comum ocorrer infecções de gripe aviária, no entanto, é possível ser transmitida para humanos através do contato com animais contaminados e suas fezes, provocando sintomas semelhantes ao da gripe comum. Porém, a gripe aviária ainda pode acarretar sintomas mais graves, como falta de ar, pneumonia e sangramento. 

A maioria dos casos de infecção em humanos foi ocasionada pelas cepas asiáticas H5N1 e H7N9, além do caso recente da cepa H10N3 informado pela Comissão Nacional de Saúde da China. O vírus da gripe aviária foi identificado pela primeira vez em 1996 em gansos, na China. Os primeiros casos da cepa H5N1 em humanos foram relatados em 1997 em Hong Kong, onde muitas pessoas tiveram complicações respiratórias graves, resultando em uma alta mortalidade. Desde o amplo ressurgimento da doença em 2003, casos esporádicos continuam sendo notificados, sobretudo na Ásia e no Oriente Médio. 

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do Estados Unidos, as infecções humanas com o vírus H5N1 asiático foram associadas a doenças graves e letais. A maioria das infecções humanas com os vírus da gripe aviária, incluindo os vírus H5N1 asiáticos HPAI, ocorreram após contato prolongado e próximo com aves infectadas.

A transmissão da gripe aviária de um ser humano para outro é pouco comum, sendo o contato direto com aves contaminadas pelo vírus a principal forma de transmissão da doença, além do consumo de ovos e carnes de aves contaminadas, como frangos, patos e perus. 

Contudo, a transmissão de uma pessoa para outra ainda pode acontecer, considerando que já ocorreram alguns casos de transmissão entre humanos, visto que o vírus pode sofrer mutações e ser transmitido por meio de gotículas de espirro e tosse ou contato com secreções.

O CDC destaca que as infecções humanas com o novo vírus da gripe aviária, como o H5N1 asiático, são preocupantes por causa de seu potencial pandêmico, tendo em vista que o H5N1 asiático continua circulando e é responsável por várias infecções humanas. 

Sintomas, diagnóstico e tratamento

Os sintomas causados pela doença em humanos são semelhantes ao da gripe comum. Eles se manifestam entre dois a oito dias. Os principais sinais da doença são:

  • Tosse;
  • Febre;
  • Diarreia;
  • Coriza;
  • Dor de garganta;
  • Dores musculares;
  • Dor de cabeça;
  • Mal-estar geral;
  • Sangramento nasal e gengival;
  • Falta de ar.

Em caso de suspeita de contaminação ou de que algum animal esteja infectado pelo vírus, é importante entrar em contato com a vigilância sanitária da sua cidade para que sejam feitas análises.

O diagnóstico deve ser feito por um clínico geral, que irá confirmar o resultado por meio da realização de exames de sangue e coleta de amostra de secreções nasal (swab nasal).

O tratamento da doença é indicado pelo profissional e requer o uso antivirais e de medicamentos para diminuir a dor e controlar a febre.

Prevenção

Para prevenir a infecção pelo vírus da gripe aviária, é importante prestar bem atenção no cozimento de ovos e carnes de aves antes do consumo, devendo estar bem cozidas, e lavar bem as mãos após manusear a carne crua. Evitar contato direto com qualquer tipo de ave, como galinhas e pombos, bem como contato com locais que contenham fezes de aves silvestres. Além disso, evitar contato próximo com pessoas infectadas.

Para quem trabalha diretamente com aves, é necessário usar botas de borracha e luvas de proteção ao entrar em contato com os animais, além de cuidados de higiene que devem ser mantidos. 


Foto: Freepik.com


LEIA MAIS:
Estudo da CoronaVac em Serrana indica queda de 95% das mortes por Covid-19 após vacinação em massa
OMS aprova inclusão da CoronaVac em lista de uso emergencial
Anvisa alerta para riscos do uso indiscriminado de paracetamol

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here