Varizes: por que surgem e a importância do tratamento adequado


As varizes, também chamadas de veias varicosas, são veias superficiais dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, que ficam aparentes abaixo da pele, caracterizadas por uma alteração na circulação venosa. 

As varizes podem acometer pessoas em qualquer fase da vida, porém, são mais frequentes após os 40 anos de idade, atingindo principalmente mulheres e idosos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), estudos mostram uma prevalência média de 38% na população geral brasileira, sendo 30% dos homens e 45% das mulheres afetados por varizes, levando em consideração todas as faixas etárias. Nos idosos há maior prevalência, visto que 70% das pessoas acima dos 70 anos podem ter varizes. 

As varizes podem ser classificadas em três tipos: 

Varizes congênitas: acontecem devido a uma malformação do sistema venoso.
Varizes primárias: são as varizes em que a maior causa é a hereditariedade.
Varizes secundárias: surgem devido a doenças adquiridas ao longo da vida, como trombose venosa profunda ou traumatismo. 

O presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular Regional do RS (SBACV-RS), Regis Fernando Angnes, esclarece que nas varizes primárias, as mais comuns, as principais causas são os fatores genéticos agregados ao aumento excessivo de peso, bem como o indivíduo ficar muito tempo sentado ou parado em pé, gravidez e sedentarismo.

Embora seja mais corriqueiro o aparecimento de varizes nas pernas, elas também podem surgir em outras partes do corpo, como na pelve, face, colo, seios, abdômen, braços e esôfago.

Sintomas

Além dos sintomas visíveis das veias inchadas e vasinhos na pele, principalmente nas pernas, as varizes podem causar uma série de sintomas, que são:

  • Dores; 
  • Sensação de peso e inchaço nas pernas; 
  • Cansaço e fadiga;
  • Formigamento;
  • Coceiras na pele sobre a veia varicosa;
  • Escurecimento da pele;

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico e tratamento devem ser indicados por um médico angiologista e/ou cirurgião vascular, que são os profissionais mais habilitados para avaliar as características das varizes e dos sintomas associados. O tratamento das varizes depende da gravidade da veia varicosa.  

Existem inúmeros tratamentos que, segundo Agnes, vão desde o tratamento clínico, no qual o médico vai indicar para o paciente usar meias elásticas, a escleroterapia das varizes (secagem), nos casos iniciais. 

No entanto, nos casos em que o paciente apresenta varizes grossas, geralmente é indicado um procedimento cirúrgico. Este procedimento pode ser feito com cirurgia convencional, cirurgia com endolaser, que é um método menos agressivo, e escleroterapia com espuma densa.

Os pacientes que não querem ou não podem fazer nenhum dos tipos de tratamento, segundo a SBACV, pode ser empregado o tratamento clínico com medicamentos, elevação dos membros inferiores e, sobretudo, o uso de meia elástica.

“As varizes não têm cura, mas sim tratamento. Por isso, é muito importante visitar com regularidade o cirurgião vascular, para tratar sempre no início e não deixar evoluir. Sempre que houver dor nas pernas ou visualizar varizes, é bom procurar um especialista”, alerta o cirurgião vascular.

Riscos

Quando não tratadas adequadamente, as varizes podem trazer riscos para a saúde. Segundo Agnes, as varizes grossas podem acarretar em tromboflebite, que é a inflamação e formação de coágulos dentro das veias superficiais que podem evoluir para a formação de uma trombose venosa profunda. 

Além disso, ele explica que quando o trombo de uma variz superficial progride para a profundidade e se desloca, quando não tratado, pode causar uma embolia pulmonar e ser fatal. O risco de não tratar varizes também pode provocar o aparecimento de úlceras varicosas e varicorragia – sangramento das varizes. 

Prevenção

“Para evitar as varizes devemos fazer exercícios, emagrecer, consumir alimentos saudáveis e evitar o sedentarismo”, recomenda o cirurgião vascular. As atividades físicas, sob supervisão de um profissional de educação física e indicada pelo médico, são fundamentais para evitar o surgimento de varizes. Entre outras medidas preventivas, a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) recomenda:

  • Manter o peso adequado;
  • Dieta rica em fibras para evitar a constipação intestinal;
  • Evitar permanecer muito tempo parado em pé ou sentado;
  • Não usar cintas abdominais apertadas;
  • Realizar caminhadas e/ou exercícios físicos com supervisão médica;
  • Utilizar sistematicamente meias elásticas, principalmente durante a gravidez;
  • Consulte regularmente seu angiologista ou cirurgião vascular.

Além do mais, não fumar, evitar usar pílulas anticoncepcionais e não usar salto alto com frequência são medidas que também contribuem para a prevenção do aparecimento de varizes.


Foto: Freepik


Bruna Faraco
Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), radialista e fotógrafa.

Faça um comentário

Deixe seu comentário

Artigos Relacionados

Redes Sociais

3,814FãsCurtir
603SeguidoresSeguir
56SeguidoresSeguir

Atualizações