Pesquisadores brasileiros vão testar canabidiol para tratamento da ‘covid longa’

0
71

Para avaliar os efeitos do canabidiol (CBD), substância derivada da planta Cannabis, no tratamento de sintomas da Covid-19 longa, um ensaio clínico de fase 3 em humanos está sendo preparado por pesquisadores brasileiros. Essa condição é caracterizada quando o paciente apresenta sintomas persistentes da doença 60 dias ou mais após receber o diagnóstico de Covid-19. Os pesquisadores pretendem recrutar cerca de mil voluntários para o estudo, previsto para começar em outubro deste ano. As informações foram divulgadas pelo Estadão. 

Atualmente, estudos indicam que o CBD é capaz de auxiliar no tratamento de dores crônicas, inflamações e de doenças como Parkinson, esclerose múltipla, esquizofrenia, epilepsia, autismo, síndrome de Burnout, depressão e ansiedade, além de insônia.

E parte dos princípios ativos do canabidiol, segundo especialistas, também podem ser capazes de reduzir sintomas relatados por pacientes pós-Covid-19, que incluem fadiga, fraqueza muscular, insônia, dores de cabeça e problemas psiquiátricos, como depressão e ansiedade. Esses sintomas persistentes, em sua maioria, decorrem de uma resposta imunológica exagerada do organismo ao vírus, reação que, por sua vez, leva ao desequilíbrio da produção de proteínas do sistema imunológico, as citoquinas. A síndrome pós-Covid-19, atualmente, representa também um grande desafio para os médicos.

“Estudos internacionais já demonstraram o efeito anti-inflamatório do CBD, que pode ajudar a controlar essa ‘tempestade de citoquinas’”, disse ao Estadão o cardiologista Edimar Bocchi, do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Bocchi coordenará a nova pesquisa em parceria com a empresa canadense Verdemed, produtora do CBD medicinal. 

A Covid-19, doença causada pelo vírus Sars-CoV-2, é inicialmente respiratória. Porém, a condição pode se tornar sistêmica, atacando múltiplos órgãos. Na maioria dos pacientes infectados, a Covid-19 tem curta duração. No entanto, de acordo com estatísticas internacionais, cerca de 20% dos pacientes relatam sintomas dois meses após o início da doença e um em cada dez apresenta sintomas após oito meses. 

A síndrome pós-Covid-19, de modo geral, afeta pacientes que desenvolveram quadros graves da doença. Contudo, a condição já foi diagnosticada em pessoas que sequer foram hospitalizadas.

A Verdemed, segundo informou o Estadão, já protocolou na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) um pedido de registro do produto, para comercializar no Brasil. A empresa canadense espera conseguir a liberação do produto para o início de 2022. 


Foto: Freepik


LEIA MAIS
Canabidiol é eficaz no tratamento da síndrome de Burnout, revela estudo da USP
Pesquisa explora efeitos do canabidiol para o alívio da dor
Paralimpíadas: agência antidoping libera uso de produtos à base de canabidiol aos atletas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here