Campanha Nacional de Multivacinação para crianças e adolescentes começa nesta sexta-feira

0
63

O Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (30), a Campanha Nacional de Multivacinação para crianças e adolescentes. A campanha, cujo objetivo é atualizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos, será realizada de 1º a 29 de outubro, com o dia “D” marcado para o dia 16 de outubro.

Serão disponibilizados 18 tipos de imunizantes, que compõem o Calendário Nacional de Vacinação da criança e do adolescente, para cerca de 45 mil postos de vacinação em todo o Brasil.

Entre as vacinas disponibilizadas nos postos para a campanha estão: BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Ainda estarão disponíveis para atualização da caderneta de adolescentes as vacinas HPV, dT (dupla adulto), Febre amarela, Tríplice viral, Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

Embora o Sistema Único de Saúde (SUS) oferte imunizantes contra todas essas enfermidades, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, alertou para a queda da cobertura vacinal nos últimos anos. 

“Percebemos que desde 2015 a cobertura vacinal no Brasil vem diminuindo – reflexo do próprio processo pandêmico nos últimos dois anos. Precisamos melhorar esta cobertura. Ampliar a cobertura vacinal e proteger a população é uma prioridade do Governo Federal. Manter a vacinação em dia é também um dever dos pais e responsáveis. Leve seu filho, sua criança e adolescente”, disse o secretário durante a cerimônia de lançamento da campanha.

As campanhas de vacinação são fundamentais para a promoção da saúde individual e coletiva. Segundo a pasta, a atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação, além de reduzir a mortalidade na infância. 

“A vacinação é a intervenção mais custo efetiva de saúde pública que nós temos. É segura. Salva vidas. É preventiva. Essa campanha de multivacinação que o Brasil está fazendo é um exemplo para nossa região, para o mundo, de que nós podemos fazer diferente”, destacou a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Socorro Gross.

O Ministério da Saúde reforça que todas as vacinas, que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI), são seguras e estão registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 


Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here