Reino Unido aprova uso de pílula antiviral para tratamento da Covid-19

0
260

A agência reguladora de medicamentos do Reino Unido aprovou, nesta quinta-feira (04), o uso de uma pílula antiviral para tratamento da Covid-19, desenvolvida em conjunto pela farmacêutica Merck, conhecida no Brasil como MSD, e pela Ridgeback Biotherapeutic, dos Estados Unidos. O país se tornou o primeiro no mundo a aprovar um antiviral para o tratamento da doença.

Em comunicado à imprensa, a  Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) britânica informou que o antiviral, chamado Lagevrio (molnupiravir), é seguro e eficaz para a redução do risco de hospitalização e morte em pessoas com Covid-19 leve a moderada que apresentam risco aumentado de desenvolver a forma grave da doença. 

“Após uma revisão rigorosa dos dados por nossos cientistas e médicos especialistas, estamos satisfeitos que o Lagevrio (molnupiravir) é seguro e eficaz para aqueles em risco de desenvolver doença COVID-19 grave e demos sua aprovação. Sem comprometer a qualidade, segurança e eficácia, o público pode confiar que a MHRA conduziu uma avaliação robusta e completa dos dados”, disse a chefe da MHRA, June Raine, em comunicado.

A eficácia do antiviral torna-se maior quando tomado durante os estágios iniciais da infecção e, por isso, o órgão regulador britânico recomenda a administração do fármaco o mais rápido possível após um teste para Covid-19 com resultado positivo e dentro de cinco dias do início dos sintomas

O uso do medicamento foi autorizado para pacientes com Covid-19 leve a moderada e com pelo menos um fator de risco para o desenvolvimento grave da doença, como obesidade, diabetes, idade avançada (acima dos 60 anos) e doenças cardíacas.

A agência britânica comunicou que a autorização condicional de comercialização da MHRA para o antiviral é válida apenas na Grã-Bretanha (Inglaterra, País de Gales e Escócia), em vigor desde 1º de janeiro. Além disso, uma autorização de uso emergencial foi concedida à Irlanda do Norte, visando  garantir o acesso do medicamento em todo o Reino Unido. No mês passado, o Reino Unido fechou acordo com a MSD para adquirir 480 mil tratamentos com o molnupiravir. 

A farmacêutica informou que deve produzir 10 milhões de doses do antiviral até o final de 2021, com ao menos 20 milhões a serem produzidas no próximo ano. 


Foto: Divulgação/MSD


LEIA MAIS
Cientistas descobrem a causa da progressão do Alzheimer no cérebro
Cientistas da USP identificam enzimas que podem combater resistência antimicrobiana

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here