2022 é o ano da Saúde Mental no trabalho, será?

0
219

Muito tem se falado a respeito da saúde mental no trabalho. Este tema ganhou grande destaque em decorrência da pandemia da Covid-19, e suas diversas consequências nas esferas de vida de um ser humano: familiar, amizade, amorosa, trabalho, etc. Quem ainda não sabia, na prática, o sentido da palavra incerteza, a vivenciou em algum momento no decorrer da pandemia.

Segundo o Ministério da Saúde, o aumento de transtornos mentais integra a quarta onda de consequências da pandemia. Dentre os fatores que podem desencadear um transtorno, está a ação do vírus da Covid-19 no sistema nervoso central; alterações dos padrões de comportamento da sociedade, incluindo a logística de trabalho e de diversão, influenciando no contato próximo entre as pessoas – algo tão importante para a saúde mental –; desajustes na dinâmica familiar, em decorrência do maior convívio das pessoas em casa, sem contar as que tiveram suas rendas reduzidas ou até perdidas; a dificuldade para realizar os rituais de despedida, dificultando a experiência de luto e impedindo a adequada ressignificação das perdas, aumentando o estresse.

No contexto organizacional, foram abertos espaços para debater o tema de forma clara. Serviços de psicologia presencial e teleatendimento em saúde mental tornaram-se benefícios de ouro para funcionários. A pandemia não acabou – e não sabemos quando isto ocorrerá – mas devemos aproveitar esse momento para fortalecer essas discussões e, principalmente, mudar nossas práticas visando transformar nossas relações e ambientes de trabalho.

Porque a pandemia não é a grande vilã do adoecimento mental, este cenário já estava posto nas organizações, mas era velado. A Organização Mundial da Saúde, em 2017, apontava que 2020 seria o ano em que a depressão seria a doença mais incapacitante do mundo. Certamente eles não estavam com o vírus incubado, planejando soltá-lo para fazer valer suas previsões. A realidade é que, mesmo sem o Novo Coronavírus, estaríamos vivendo um momento chave para a saúde mental nas empresas, mas, talvez, não teríamos espaço para falar a respeito.

Mas então, quais as razões que fazem as empresas serem espaços de adoecimento ao invés de locais de produção de sentido, de vitalidade. Christophe Djour, psiquiatra e psicanalista francês, baseado em seus estudos sobre a psicodinâmica do trabalho já nos dá indícios de algumas razões ao nos dizer que “O sofrimento aflora no desprezo da ‘história individual’ do funcionário frente à dominação da organização”.

Bem, são essas reflexões que vamos compartilhar neste espaço, no Infohealth. Saúde mental, liderança, dinâmicas organizacionais e comunicação serão temas de artigos que vão convidar a refletir sobre nosso dia a dia a respeito deste cenário, pois se tem algo que cada um de nós possui o compromisso de mudar é este, se não, de nada adianta,  discursos de felicidade, bem-estar, colaboração, se a prática permanecer a mesma.


Lugar de fala

Quem sou e o que me leva a falar sobre o tema? Sou Relações Públicas, atuo há mais de 17 anos com comunicação corporativa, sendo 15 deles em posição de liderança, e, em 2016 ingressei no mestrado para refletir sobre as práticas, pois muitas das fórmulas já não entregavam mais os resultados esperados.

No decorrer da caminhada, fui percebendo uma relação entre os discursos que produzimos e suas influências na saúde mental. Foi então que ampliei a pesquisa e vi que os números de adoecimento crescem a cada ano e busquei entender como nós, profissionais de comunicação, podemos contribuir para mudar esse cenário. Busquei em outras fontes subsídios para uma maior compreensão sobre o tema, como a psicodinâmica do trabalho, sociologia, filosofia, etc. Formação concluída em 2019 e um horizonte se abriu a respeito de nossa responsabilidade sobre o bem-estar das pessoas no trabalho. Em 2021, iniciei uma especialização em Saúde Mental e Desenvolvimento Humano, para ampliar as fontes de conhecimento sobre o tema.

Durante a pandemia, tive oportunidade de liderar a comunicação de uma rede de hospitais e escolas, acompanhando diariamente os efeitos da Covid. Em 2021 fui diagnosticado com depressão, e desde então venho buscando, com ajuda de profissionais da saúde, passar por este momento. Associar a teoria com a prática têm me proporcionado uma maior compreensão sobre algumas das razões e não me deixar cair em justificativas rotineiras sobre a situação.

É a partir deste lugar que vou compartilhar, por meio dos artigos, temas relacionados a saúde mental no ambiente de trabalho, em especial às lideranças, pois esse nível tem o potencial de sofrer e gerar sofrimento – ou bem-estar.


Leia mais colunas:

Os cuidados que você não pode deixar de ter com a sua saúde mental

O papel das emoções na nossa vida

Fobia social: entenda o que é e quando é hora de buscar ajuda

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here