Febre amarela: o que é, sintomas, tratamento e prevenção

0
204

A febre amarela é uma infecção viral aguda, causada por um vírus que é transmitido aos humanos por meio da picada de mosquito infectado, podendo levar à morte. A doença é dividida em dois ciclos de transmissão: 

Febre amarela silvestre:  transmitida pelo Haemagogus, um mosquito que vive em florestas, por isso a transmissão é mais comum em macacos. Atualmente, segundo o Ministério da Saúde, a febre amarela silvestre é uma doença endêmica no Brasil , sendo comum na região amazônica. 

Febre amarela urbana:  transmitida pelos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No entanto, desde o início da vacinação contra a febre amarela, o Brasil não registra há décadas casos desse tipo. O Ministério aponta que os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão.

Dados epidemiológicos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) indicam que em 2018 cinco países das Américas notificaram casos confirmados de febre amarela, incluindo o Brasil.

Sintomas

Os sintomas variam conforme a gravidade da doença. As principais manifestações de sintomas são:

  • febre;
  • dor de cabeça intensa;
  • náuseas e vômito;
  • calafrios;
  • dores no corpo;
  • fadiga e fraqueza;

Em estágios mais graves da doença, os sintomas incluem:

  • icterícia – pele e olhos amarelados;
  • Febre alta;
  • hemorragias – gengivas, nariz, estômago, intestino e urina.

Na maioria dos casos, o paciente melhora após os sintomas iniciais. A Opas, no entanto, estima que uma pequena parcela (15%) de pacientes que contraem o vírus desenvolve sintomas graves. Quando a doença chega a esse estágio, aproximadamente metade dos pacientes vão a óbito.

Diagnóstico e tratamento

Ao apresentar os sintomas, é fundamental que o paciente procure atendimento médico. O profissional irá avaliar os sintomas apresentados pelo paciente, além de solicitar exames específicos que são necessários para diagnosticar a doença.

Não há um medicamento específico para combater o vírus da febre amarela, e a  maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunidade permanente contra a febre amarela. O tratamento, que é sintomático e sob hospitalização, consiste em repouso, reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando necessário. 

O acompanhamento deve ser realizado por um profissional da área da saúde, e o médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico. Em casos graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Prevenção

A vacina é a principal forma de prevenir e controlar a febre amarela. O imunizante, ofertado no Brasil pelo Sistema Único de Saúde (SUS), consiste em um esquema vacinal de dose única, conforme recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). O Ministério da Saúde ressalta que toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que vão viajar para essas áreas deve se imunizar.

Ainda conforme a pasta, o imunizante encontra-se disponível durante todo o ano nas unidades de saúde. Ao se deslocar para áreas consideradas de risco de exposição, é necessário se imunizar pelo menos 10 dias antes do deslocamento, principalmente, para aqueles que nunca foram imunizados.

Além disso, evite a proliferação dos mosquitos transmissores da doença realizando algumas medidas simples, como:

  • não deixar água parada em pneus, pratos de plantas e demais recipientes que acumulam água;
  • manter caixas d’água cobertas;
  • desentupir calhas;
  • guardar garrafas com a boca para baixo.

Foto: Freepik


LEIA MAIS
Dengue: o que é, sintomas, tratamento e prevenção
Insolação: entenda o que é, sintomas e como prevenir

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here